Texto: Lucas Ken Ohori / Fotos: Luciano Falconi

A paixão por carros modificados possui vários níveis de intensidade, partindo de uma mera admiração por tendências de customização até o mais elevado grau do vício, onde ter ideias ousadas, elaborar um projeto e executá-lo literalmente “colocando a mão na massa” faz parte do dia-a-dia. Rony Maksud, proprietário deste Fiesta Sedan 2007 é exatamente esse segundo tipo de entusiasta. Assim que comprou o carro de seu pai, o cara não estava muito empolgado com seu visual. “Achava o carro feio e por conta disso comecei a modificá-lo”, conta.

IMG_7195
O primeiro passo foi socar a nave no chão com uma suspensão a ar. Como já havia trabalhado por anos na Concept Suspensões, loja especializada no assunto situada em Osasco, na grande São Paulo, o dono da bagaça pediu para a equipe realizar a instalação do kit com quatro válvulas de 1/2” e bolsas cônicas. “Fiz algumas ressalvas como deixar o restante dos componentes (manômetros, cilindros e compressores) soltos, para que eu mesmo fixasse, e utilizar mangueiras lonadas similares as utilizadas em Low Riders, que são muito mais reforçadas”, conta Rony.

IMG_7187
Aos poucos, a suspa ganhou upgrades e, agora, tem dois compressores e dois cilindros de ar. “Agora posso subir e descer o carro várias vezes seguidas que o compressor só é acionado depois de um bom tempo”, conta o dono da bagaça. Devido ao diâmetro das válvulas, a resposta da suspensão é bem rápida e difícil de ajustar — é preciso dar alguns toques bem de leve nos botões para regular a altura certa para andar.

IMG_7074
Depois de tudo pronto e funcionando perfeitamente, o projeto chegava ao seu ponto crítico: o “face” e, segundo Rony, “ass lift”, para deixar o Fiestinha com aspecto rejuvenescido. Original de fábrica, ele tinha faróis “quadrados” nada modernos e muito menos atraentes (confira fotos do processo de transformação ao final da matéria). “Como na época em que adquiri o carro, a versão 2011 já havia sido lançada, resolvi tentar atualizá-lo.

IMG_7081

Perguntei para vários amigos se era possível fazer a mudança e todos, de maneira unânime, me disseram que não (ou que seria extremamente difícil). “Mesmo sabendo das dificuldades que iria enfrentar, continuei com o plano”, conta. Por diversas vezes, o cara foi em concessionárias só para tentar ver com maior precisão encaixes e suportes dos para-choques, lanternas, grades… E deixou muitos vendedores sem entender nada quando o viam “jogado” debaixo do carro.

IMG_7109
Após aproximadamente um ano de trabalho, tudo estava no devido lugar, alinhadinho, perfeito. “Os faróis e lanternas com máscara negra ficaram insanos, e como sou detalhista, aproveitei para retirar o emblema da grade frontal e também mexer na elétrica para deixar setas e seus repetidores (no para-choque) ligados como lanterna”, ressalta o dono da bagaça.

IMG_7114
Fechando as modificações externas, o jogo de rodas 17” foi herdado do Golzinho branco que estampou a capa de nossa edição 154. “Antes, o Fiesta calçava redondas da Noova modelo NV12. O visual era legal, mas como sempre curti redondas largas e com bordas saradas, troquei pelas réplicas de BBS. As dianteiras são da marca Infinity e têm tala de 7,5 polegadas. Já as traseiras, Rodera, são tala 8.5”. Como a moda da vez são pneus stretch, montei borrachudos de medidas 195/40”, ressalta Rony.

IMG_7318
No interior, o sistema de áudio garante entretenimento de sobra e é comandado por um DVD-player Pioneer. Para garantir médios e agudos bem definidos, um kit duas vias e par de triaxiais — são alimentados por um módulo Falcon com quatro canais de 72 W RMS — foram instalados nas portas dianteiras e traseiras, respectivamente. Mesmo sem tratamento acústico, o rendimento dos falantes é satisfatório.

IMG_7080

No entanto, o destaque é para o par de subs Pioneer de 12”, cada um com 400 W RMS. Empurrados por um amplificador Banda Ice de 800 W RMS, geram batidas arrasadoras. “Como não consigo ficar sem participar de cada etapa do projeto, também fiz as caixas acústicas. Cortei chapas de madeira MDF, usei muita fibra e também instalei dutos de 3” x 10 cm em cada uma das câmaras, cada uma com 35 litros”, detalha.

IMG_7260
Além dos equipos de som e suspensão, o porta-malas também ganhou assoalho em madeira. “Cortei mais uma chapa de MDF para usar como base e a revesti com piso de PVC com aspecto de madeira nobre. Comprei tudo em uma loja de material de construção”, finaliza o realizado e sagaz proprietário que não tem medo de sujar as mãos para deixar seu carro exclusivo.

Procedimento Cirúrgico

Mesmo sem saber se iria dar certo, Rony comprou todas as peças (para-lamas, para-choques, faróis…) do modelo 2011. O processo de transformação do Fiestinha foi feito, acredite se quiser, na garagem da casa do cara. Veja a “cirurgia” na galeria abaixo.

Ficha Técnica

Unidade principal > DVD-Player AVH-P3280BT – Pioneer
Falante (dianteiro) > 1 kit duas vias Cs60d, de 6” – Bravox
Falante (traseiro) > 1 kit triaxial CL-365, de 6” – Hurricane
Falante (porta-malas) > 2 subwoofers TS-310, de 12” – Pioneer
Amplificador > 1 HS800S, de quatro canais – Falcon e 1 Ice 800, de um canal Banda Audio
Upgrades > Para-choques, paralamas, faróis, lanternas, rodas, suspensão, hardlines, compressores, manômetros, personalização do porta-malas