A Jaguar revelou na noite desta terça-feira (27) o XE SV Project 8 que a gente adiantou aqui na FULLPOWER esta semana. Os britânicos da SVO (Special Vehicle Operations) não estavam para brincadeira mesmo, porque, diferentemente do flagra – que mostrava uma customização mais comportada –, o sedã veio com o visual brutal do conceito, fazendo jus à cavalaria que ele traz sob o capô.

Os números oficiais do SV Project 8 são absurdos. O motor 5.0 V8 de 600 cv, aliado ao câmbio automático de oito marchas, praticamente catapulta o bichão aos 100 km/h em meros 3,3 segundos. E ele ainda atinge 321 km/h de máxima. Essas são credenciais de superesportivos com plataforma de fibra de carbono, mas a gente está falando de um modelo derivado do convencional XE (que, convenhamos, já é bem nobre por usar extensivamente o alumínio em sua construção).

Assim como a gente mostrou nas fotos do conceito do projeto, a versão de produção (limitada a 300 unidades) traz uma asa generosa atrás, com pá regulável, para-choques e capô de fibra de carbono e um assoalho plano sob a carroceria. As rodas são de 20” de liga de alumínio forjada.

Para controlar toda essa disposição do sedã, a SVO tratou de instalar molas mais firmes e amortecedores continuamente variáveis, que podem rebaixar a altura do carro em 15 mm para uso em pistas. O modelo também conta com diferencial ativo eletrônico com sistema de arrefecimento de óleo e um jogo discos de freios de carbono e cerâmica, que estreia uma tecnologia inspirada em carros de Fórmula 1 num Jaguar. A tração é sempre integral.

A cabine do Project 8 obviamente mereceu atenção especial, já que boa parte do acabamento é feito em fibra de carbono e revestido de alcântara. De série, o XE nervosão vem com o tradicional banco traseiro, mas o interessado pode optar por retirar os assentos e instalar uma gaiola de proteção para as pistas, de fábrica. Com este opcional, os bancos da frente para corridas são feitos de fibra de carbono.

É uma pena que até para os ingleses esse brinquedo aí é uma facada no peito. Cada uma das 300 unidades não vai ser por menos de 150 mil libras (cerca de R$ 635 mil em conversão livre).