Por: Lucas Ken Ohori / Fotos: João Mantovani

A malemolência do povo baiano não cabe a Luiz, empresário que prefere manter seu sobrenome no anonimato, dono deste Range Rover Evoque. Isso porque, após ter montado um sistema de som em uma loja de Salvador que não atingiu suas expectativas, deixou de lado a lei do mínimo esforço e não sossegou enquanto não deixou tudo ao seu gosto. “Estava disposto a recomeçar tudo do zero, pois a frustração com o trabalho da primeira loja foi enorme.

Evoque-sound-fullpower-12

Passei, então, a fazer inúmeras pesquisas por estabelecimentos de confiança, realmente especializados no tipo de serviço”, lembra. Ele fez buscas na internet, consultou a opinião de amigos e no fim, quem acabou dando a luz no fim do túnel foi FULLPOWER. “Lembrei que na edição 130 havia uma matéria sobre um Evoque branco lindo, com um som exatamente do jeito que sempre sonhei. Reli todo o texto e vi que quem assinava o projeto era a paulistana Young Sound. Não pensei duas vezes e entrei em contato com os caras”, conta Luiz.

Evoque-sound-fullpower-9

BX Young_610x200Apesar da distância de quase 2.000 km entre Salvador e a terra da garoa, ele não hesitou em colocar seu SUV em cima de um caminhão guincho e despachá-lo até a loja. “Enquanto o carro viajava por terra, peguei um avião e fui até a capital paulista para conhecer pessoalmente Ricardo Gil, o instalador responsável, e definir detalhes do novo projeto”, ressalta o dono da bagaça.
Um de seus pedidos era que, ao apertar o play e aumentar o volume na central multimídia original — esta deveria ser mantida —, tudo tocasse como o som de uma sala de cinema, preenchendo o habitáculo com força e, ao mesmo tempo, equilíbrio. “Como o aparelho não oferece tantos recursos de equalização, decidimos adotar um processador de áudio Bit Ten de cinco canais, cada um com 31 bandas. Graças a ele, conseguimos ajustar a resposta de cada falante e criar o famoso efeito de palco sonoro”, afirma Ricardo.

Evoque-sound-fullpower-4
De fábrica, o Evoque vem com um total de 17 alto-falantes da inglesa Meridian Áudio que já oferecem qualidade muito acima da média. No entanto, para o exigente proprietário, ainda não eram o suficiente. “Sugeri seguirmos a receita do Evoque da matéria que Luiz havia lido, onde usamos kits de três vias nas portas dianteiras e outro de duas vias na traseira. Ele topou na hora”, conta o especialista.

Evoque-sound-fullpower-6
Antes de fixá-los, a equipe trabalhou pesado para fazer um tratamento acústico nas portas, com mantas asfálticas e baffles de madeira MDF para acomodar midbass e midrange. “Todos estes cuidados na hora da instalação ajudam a eliminar qualquer possível vibração que possa interferir na reprodução sonora e extrair o máximo de rendimento dos componentes”, ressalta.
Evoque-sound-fullpower-15


Geek é uma gíria inglesa utilizada para definir pessoas que adoram tecnologia, filmes, séries… Exatamente como o dono da bagaça. E foi justamente inspirado no clima intergalático do filme Star Trek, um de seus prediletos, que pediu para a esquadrão de criação da Young Sound, composto por Carlos Alexandre, Alexandre Cezar, Marcus “Homer” Eneias, Filipe Inácio e José Correia personalizarem o porta-malas.

Evoque-sound-fullpower-17

BX FullEnergy_610x200
“Luiz nos enviou uma miniatura da Enterprise-D, principal nave do filme, e pediu para que a colocássemos em meio aos módulos e par de subwoofers de 10”. Na hora surgiu a ideia de recriar o espaço sideral e causar a ilusão ótica de que tudo estivesse flutuando”, conta Carlão. Para isso, os caras revestiram a caixa dos subs e suportes dos módulo com courvin preto, deixando um fundo bem escurão, fizeram bases para os amplificadores em acrílico e iluminaram os equipos com fitas de lâmpadas LED do tipo RGB, que acendem em diversas cores totalmente programáveis.
“Finalmente a sonzeira ficou do jeito que sempre sonhei, a qualidade está animal e o visual do porta-malas ficou alucinante”, vibra o proprietário.

Evoque-sound-fullpower-7

BX SoBuzinas_610x200
Antes que a saga desse Evoque finalmente chegasse ao fim, Luiz aproveitou mais um pouquinho do know-how dos profissionais da loja e fez algumas discretas mudanças no visual da caranga: pintou as rodas de preto e envelopou as laterais do teto com adesivo black piano. Como todo bom baiano, o cara é chegado em uma pimenta e, no caso, o tempero extra veio em forma de upgrades (módulo Sprint Booster que deixa a resposta do acelerador eletrônico mais arisca, filtro de ar esportivo inbox K&N e remapeamento eletrônico com chip Powerfull) no motor 2.0 a gasolina.
“O carro ficou sensacional, muito além das minhas expectativas. De fato, fazer um esforcinho a mais de vez em quando não faz mal a ninguém”, finaliza o feliz proprietário.