A FULLPOWER marcou presença no lançamento do Renault Kwid na semana passada e contamos pra você como é rodar com o compacto metido a SUV e já enxergamos um potencial pra dar uma mexida nele, tipo o nosso Projects aqui. E foi exatamente o que fizeram lá no Salão da Indonésia.

Os caras da Renault na Ásia levaram para o GIIAS 2017 um Kwid invocadão justamente para comprovar que o carrinho pode ter versões mais apimentadas, quebrando um pouco a essência totalmente racional do modelo.

Renault Kwid Extreme

A versão esportiva do Kwid foi batizada de Extreme e mudou muita coisa da configuração original. Começando pelo para-choque da frente, bem mais protuberante e com entradas de ar maiores, incluindo duas falsas em cada ponta. O detalhe em vermelho reforça a pegada de corrida do carro e aqueles quadradinhos que você vê ali são LEDs. Os faróis também têm assinatura de LED e um canhão mais destacado, agregando mais refino ao compacto.

Renault Kwid Extreme

O capô ganhou uma pintura cinza com borda vermelha central, mais uma referência às pistas, assim como as capas vermelhas dos retrovisores. Infelizmente a fonte que deu a notícia (Indian Autos Blog) não informou o tamanhos das rodas da OZ Racing, mas aparentemente são de 18”, com furação adaptada de cinco furos (lembra que originalmente são três), calçadas com pneus de perfil fininho. As caixas de rodas grandes e os para-lamas largos originais nem precisaram de gambiarra pra abrir as rodas e o setup mais baixo de suspensão.

Renault Kwid Extreme

Atrás, o para-choque segue o mesmo padrão robusto do frontal, com difusores mostruosos e duas saídas fake de ar nas extremidades. As laternas ganharam LEDs e junto ao teto vem o aerofólio e um spoiler, também gigantes, que casam com o kit aerodinâmico do carro.

Renault Kwid Extreme

Pena que esse conceito aí só foi um estudo visual, então nem se deram ao trabalho de preparar um motor mais potente pra acompanhar o estilo esportivo do Kwid Extreme. Na Ásia ele é mais fraco do que o brasileiro, com motor 1.0 de 68 cv. Mas fala aí se não cairia bem um motorzinho maior? Talvez com um turbo e kit padaria (downpipe, escape, filtro…) ou até uma receita tal qual Sandero R.S., um motor aspirado maior, como o próprio 1.6 SCe da Renault de 118 cv, já seria um grande avanço pro Kwid, por ser bem leve.