A Bugatti encerrou a semana com uma notícia que não deixou os entusiastas muito contentes. O exclusivo Chiron Super Sport 300+ teve a sua produção encerrada depois de apenas 30 unidades serem produzidas. O modelo foi uma das últimas produções extraordinárias da fabricante que deixa o setor automotivo com a sensação de que novidades surjam em breve.

A montadora francesa é especializada em alcançar e superar os próprios recordes. O Chiron SS 300+ surgiu depois que o modelo “convencional” alcançou incríveis 482 km/h superando as medições anteriores da própria Bugatti. A partir daí, os engenheiros da montadora decidiram construir um Chiron ainda mais potente, encorpado e veloz. O SS 300 + foi feito para superar as expectativas de um hipercarro.

Debaixo do capô, são nada mais nada menos do que 1.600 cv de potência. O tradicional motor W16 de 8.0 litros, recebeu alguns leves upgrades para ficar mais poderoso em relação a um Chiron “normal”. Além de algumas modificações mecânicas, a estrutura do supercarro também foi modificada. O chassi foi alongado em 25 centímetros, com a estrutura aerodinâmica recebendo novas saídas de ar para aperfeiçoar ainda mais o downforce. 

Divulgação/Bugatti

Com o protótipo pronto, a Bugatti entrou na fase de testes com o piloto Andy Wallace, motorista conceituado e vencedor das 24h de Le Mans. A aferição de velocidade máxima foi realizada na pista de Ehra-Lessien, na Alemanha. Como era de se imaginar, o hipercarro que foi construído para andar a 500km/h, alcançou incríveis 490 km/h, titulando a fabricante como a primeira montadora de carros a atingir esse marco em um veículo de produção. 

O resultado foi impressionante, e atingiu um patamar que exige muito trabalho, análise de dados e planejamento para ser alcançado. Como os testes foram realizados pelo veículo protótipo, a transferência de tudo o que foi construído para o modelo original teve algumas mudanças, principalmente levando em consideração a segurança. Neste caso, as unidades comercializadas, tiveram a velocidade limitada eletronicamente em 442 km/h, o que mesmo assim já é muita coisa.

A exclusividade do Bugatti Chiron Super Sport 300+ custou 3,5 milhões de euros (cerca de R$ 19,7 milhões em uma conversão direta), e mesmo assim teve compradores para todas as únicas 30 unidades que foram feitas. O último exemplar foi entregue recentemente e por fim encerrou a construção do hipercarro que ficou na história automotiva mundial depois de atingir quase 500km/h. E agora, qual será a montadora a superar esse recorde? Só o futuro poderá nos dizer.

Divulgação/Bugatti