A Bugatti apresentou nesta semana, no Salão de Genebra (Suíça), um hipercarro de encher os olhos. O La Voiture Noire é uma bela homenagem ao Type 57 SC Atlantic, cupê lançado em 1936 por Jean Bugatti, filho do fundador Ettore Bugatti.

Tal como o clássico dos anos 1930, que teve apenas duas unidades produzidas, o La Voiture Noire é extremamente exclusivo: simplesmente um exemplar fabricado pela bagatela de 11 milhões de euros, o equivalente a R$ 47.410.000 na conversão direta. Sim, trata-se do carro mais caro de todos os tempos.

A motorização do novo hiperesportivo é a mesma do irmão Divo: motor 8.0 W16 quadriturbo de 1.500 cv e 162,2 kgfm. Toda essa brutalidade é expressada também no visual do modelo, que conta com seis ponteiras de escapamento em sua traseira futurista. A dianteira segue o estilo atual de outros Bugatti, com uma enorme grade e muitas entradas de ar.

Com carroceria de fibra de carbono feita a mão e linhas volumosas alusivas as de seu antepassado, o La Voiture Noire recebeu pintura preta e frisos cromados tal como no cupê inspirador. Até a “barbatana” que se prolonga do capô até a traseira foi aplicada na novidade. As enormes rodas têm design exclusivo.

Detalhes sobre desempenho e até mesmo imagens do interior do novo Bugatti ainda não foram revelados pelo fabricante. Resta torcer para o dono (pois é, o La Voiture Noire já foi vendido) deixar os apaixonados por carros conhecer seu brinquedo melhor.