Dez reais. Somente uma nota vermelhinha separa o Yaris XLS do Polo Highline com todos os opcionais. O Toyota tem preço sugerido de R$ 78.990 e o Volkswagen completinho sai por R$ 78.980. Com praticamente o mesmo preço, qual dos dois será a melhor compra?

Com ou sem os opcionais, o Polo Highline, que parte de R$ 73.250, vence essa briga. Um de seus diferenciais é encontrado debaixo do capô: o motor 1.0 turbo flex garante ao compacto desempenho superior para acelerações e retomadas de velocidade em comparação com o 1.5 flex que equipa o Yaris. Em números, são 128 cv e 20,4 kgfm do propulsor tricilíndrico contra 110 cv e 14,9 kgfm do quatro cilindros herdado do Toyota Etios. Com upgrades eletrônicos no 1.0 TSI, dá para aumentar facinho sua performance.

A transmissão automática de seis marchas do VW contribui para o bom arrojo do hatch, efetuando trocas rápidas e pouco perceptíveis. No Toyota, a caixa CVT proveniente do Corolla também é muito eficiente e simula com perfeição sete marchas virtuais. Pena não haver um modo esportivo (S), como no Polo, para o modelo ser um pouco mais esperto em situações de ultrapassagem, por exemplo.

Em termos de consumo, os dados do Inmetro apontam uma pequena vantagem para o Yaris, que faz 12,6 km/l na cidade e 13,8 km/l na estrada, abastecido com gasolina. Com o mesmo combustível, o Polo registra 11,6 km/l e 14,1 km/l, respectivamente. Durante a avaliação dos dois carros, contudo, as médias do Volkswagen se mostraram melhores, chegando a ótimos 20,2 km/l em ciclo rodoviário contra 15,5 km/l do rival.

Ao volante, o Polo entrega melhor ergonomia (só ele tem ajuste de profundidade da coluna de direção) e é mais gostoso de dirigir, em que pese seu acerto de suspensão mais firme que o do Yaris. Suas rodas são maiores: 17 polegadas (opcionais) contra as de 15” do concorrente. Além disso, o consumidor tem para o Polo muito mais opções de rodas para deixá-lo ainda mais invocado – não só as do próprio modelo, vendidas como acessórios, mas as de irmãos como Golf, Jetta e até Passat.

A rolagem da carroceria é mínima em ambos, mas no VW há maior sensação de confiança para uma pilotagem mais agressiva. Sua direção elétrica de respostas diretas também favorecem a condução mais esportiva. Felizmente, em ambos há controles de tração e estabilidade.

Multimídia e equipamentos

Embora tenha um pequeno display colorido em seu quadro de instrumentos e uma central multimídia de 7” muito melhor que a do Corolla, o Yaris não consegue ser mais tecnológico que o Polo. O cluster 100% digital do Volks permite vários tipos de visualização e sua multimídia com tela sensível ao toque de 8” é bem mais avançada, com direito a possibilidade de espelhamento dos sistemas Android Auto e Apple CarPlay, indisponíveis para o Toyota.

A lista de equipamentos dos dois hatches (considerando o Polo com todos os opcionais) é bastante recheada: sensores de chuva e crepuscular, botão de partida do motor, vidros elétricos com a função um toque para todas as portas, retrovisor fotocromático, câmera de ré (de melhor resolução no Polo), chave presencial, controlador de velocidade de cruzeiro, bancos de couro, ar-condicionado digital de uma zona, volante multifuncional, sensor de ré e aletas para trocas de marchas sequenciais. Só o Yaris conta com interior todo preto e teto solar. O Polo, por sua vez, ataca com saída de ventilação para o banco de trás, três entradas USB (há apenas uma no Toyota), sensor de estacionamento dianteiro e leds de iluminação diurna.

No quesito segurança, o Yaris se sobressai com a oferta de sete airbags. No Polo são quatro, mas vale destacar o fato de o hatch ter recebido nota máxima nos testes de colisão do Latin NCAP. O modelo da Toyota ainda não submetido aos ensaios do órgão latino-americano.

Em espaço, há vantagem para o Polo, apesar da diferença de entre-eixos ser de apenas um centímetro em favor do VW, que dispõe de 2,56 metros. Nele, quatro adultos viajam com maior área livre para as pernas e também para a cabeça. No Yaris, o teto baixo prejudica bastante os ocupantes mais altos. No porta-malas, são somente dez litros a mais para o Toyota: 310 contra 300 litros.

TOYOTA YARIS XLS

PRÓS: Design, nível de conforto, baixo consumo de combustível e sete airbags

CONTRAS: teto baixo compromete o espaço para a cabeça dos mais altos, desempenho só moderado e detalhes de acabamento, como a coluna de direção que “despenca” quando se ajusta a altura

VW POLO HIGHLINE

PRÓS: ótimo desempenho aliado a um baixo consumo de combustível, central multimídia e quadro de instrumentos mais modernos que os do rival e melhor ergonomia

CONTRAS: suspensões mais firmes tornam o hatch um pouco duro ao passar por pisos irregulares e painel fica devendo detalhes de toque macio

FICHAS TÉCNICAS

MODELOS Toyota Yaris XLS VW Polo Highline
Preço sugerido R$ 78.990 R$ 73.250
Motor 1.5, 4 cil., 16V, flex 1.0, 3 cil., 12V, turbo, flex
Potência máxima 110 cv a 5.600 rpm 128 cv a 5.500 rpm
Torque máximo 14,9 kgfm a 4.000 rpm 20,4 kgfm a 2.000 rpm
Câmbio CVT, 7 marchas virtuais Automático, 6 marchas
Direção Elétrica Elétrica
Comprimento 4,14 metros 4,05 metros
Entre-eixos 2,55 metros 2,56 metros
Rodas 185/60 R15 195/55 R16 (opcionais de 17″)
Porta-malas 310 litros 300 litros
Peso 1.150 kg 1.147 kg