Ele deveria aparecer só em março, no Salão de Genebra (Suíça), mas a Renault resolveu antecipar a revelação e mostrou nesta terça-feira (29) as imagens oficiais do novo Clio. A quinta geração do modelo estreia a plataforma modular CMF-B, desenvolvida para receber motores híbridos e elétricos, e está recheada de tecnologia.

Pena que o hatch compacto ainda não esteja nos planos da marca para o Brasil (uma das razões seria o preço elevado), mas ainda assim temos motivo para comemorar o seu lançamento, pois ele servirá de base para os novos Sandero, Logan e Captur.

Embora esteja 14 mm menor e 30 mm mais baixo, o novo Clio está mais espaçoso por dentro, graças à nova base adotada. Seu porta-malas cresceu 91 litros, chegando a 391 litros, um número expressivo para o segmento. Há ainda mais 26 litros distribuídos pelos porta-objetos.

O design não mudou muito em relação ao do Clio IV, mas a evolução das linhas é perceptível, com destaque para os leds diurnos em formato de C que o deixam ainda mais parecido com o irmão maior Mégane. Nas versões mais caras, como a RS Line, as rodas de liga leve são de 17 polegadas.

No interior, batizado de Smart Cockpit, as mudanças foram mais significativas. A central multimídia com tela sensível ao toque de 9,3 polegadas e posicionada na vertical é a maior já adotada em carros da Renault. O quadro de instrumentos também pode ser digital, com telas de 7” e 10”, dependendo da versão. No console, chamam atenção os botões à la teclas de piano, num estilo semelhante ao adotado pela Peugeot em modelos como o 3008.

E as opções de motores? Essas informações foram guardadas para a apresentação oficial do novo Clio, em Genebra. O que já sabemos é que a quinta geração do hatch terá uma versão híbrida, com a tecnologia E-tech da Renault, e adotará sistemas de condução semi-autônoma.