A BMW divulgou nesta semana as imagens oficiais da linha reestilizada do Série 7. O sedã mais luxuoso da marca, que já chamava atenção pelo porte grande, ficou ainda mais parrudo com a adoção de uma grade dianteira bastante exagerada, com proporções semelhantes às do SUV X7. Para comprovar o crescimento em números, basta dizer que a peça é 40% maior que a do modelo antigo.

A dianteira do Série 7 2020 também recebeu novos os faróis de led (como opcional, há luzes lazer), novos vincos no capô e paralamas mais proeminentes. Na traseira, as lanternas passaram a ser conectadas por um filete de iluminação aplicado na tampa do porta-malas. Antes, havia um aplique cromado.

Já a cabine incorporou um quadro de instrumentos digital idêntico ao dos novos Série 8, X5 e Z4, além de carregador de celulares por indução e novas opções de acabamentos e revestimentos de couro. De acordo com a BMW, o isolamento acústico também foi aperfeiçoado.

O motor do Série 7 reestilizado ainda é o 4.4 V8 biturbo, mas retrabalhado para entregar 81 cv a mais que o anterior. Agora são 530 cv e 76,4 kgfm de torque (10,2 kgfm extras), que fazem o sedã atingir 100 km/h em 3,9 segundos. O câmbio automático de oito marchas também foi revisado para efetuar trocas mais suaves e rápidas, com direito a controle de largada.

Além da versão 750i xDrive, o Série 7 é oferecido em configuração topo de linha (M760) com motor V12 de 608 cv e híbrida do tipo plug-in (740e), que combina propulsor seis cilindros em linha de 284 cv e elétrico de 114 cv. As vendas na Europa começarão em abril.