A Nissan apresentou nesta semana o Magnite, crossover feito sobre a mesma plataforma do Renault Kwid e com futuro ligado ao Brasil. O modelo, que será lançado no ano que vem na Índia, está cotado para estrear em 2022 no nosso país, ocupando o lugar do March. 

 

Poucas informações foram reveladas sobre o irmão menor do Kicks, mas já temos algumas pistas sobre sua motorização. O Magnite deve contar com motor 1.0 aspirado de 73 cv e câmbio manual de cinco marchas nas versões de entrada. Já as configurações mais caras podem utilizar um novo 1.0 turbo de três cilindros, com potência estimada de 100 cv, e transmissão CVT.

Por ter a base do primo Kwid, o pequeno Nissan tende a ter menos de quatro metros de comprimento. Por ora, o fabricante informou somente que ele terá 20,5 centímetros de altura em relação ao solo e porta-malas de 336 litros – maior que o do Jeep Renegade, como comparação.

O visual do Magnite segue o estilo do novo Kicks na dianteira, com destaque para o filete de led no parachoque e os faróis de neblina numa posição bem baixa. A traseira tem identidade própria, digamos assim, com lanternas horizontais que invadem a tampa do porta-malas. Em todas as versões, o Magnite terá rodas de liga leve de 16 polegadas.

A cabine da novidade promete ser diferente de qualquer outro Nissan à venda hoje no Brasil. A inspiração, entretanto, veio da Renault Triber, minivan de sete lugares comercializada no mercado indiano. Além da aparência agradável, chama atenção o quadro de instrumentos digital e a central multimídia com tela sensível ao toque de oito polegadas, que projeta a câmera 360º do carro e permite o espelhamento de smartphones sem uso de cabo.