Lembra do Nissan Leaf apresentado no Salão do Automóvel do ano passado? O elétrico que na ocasião foi anunciado em pré-venda por R$ 178.400 começou a ser vendido oficialmente no país, mas com um considerável reajuste de preço. A tabela teve um acréscimo de R$ 16.500, chegando a R$ 195 mil. Fora o Brasil, Argentina Chile e Colômbia também passam a comercializar o carro.

De acordo com o fabricante, a meta é emplacar anualmente 200 unidades do veículo equipado com motor elétrico de 149 cv e 32,6 kgfm. Em sua segunda geração, o Leaf tem câmbio CVT feito especialmente para o modelo e autonomia maior em relação ao seu predecessor: passou de 172 km da versão 2016 para 240 km.

As baterias do Leaf são de 40 kWh e levam 40 minutos para recuperar 80% da carga em uma estação de recarga rápida de 50 kW. Em casa, os donos do elétrico podem fazer uso do Wallbox, carregador portátil que acompanha o carro e cuja instalação está inclusa no preço do Nissan. O kit inclui cabo para tomada convencional e adaptador. Com ele, a recarga total leva de seis a oito horas.

De série, o Nissan Leaf traz piloto automático adaptativo, central multimídia com tela de 8 polegadas, quadro de instrumentos digital de 7”, controle de estabilidade e tração, alerta de ponto cego, de tráfego cruzado e de mudança de faixa, monitoramento de pressão dos pneus, câmera 360°, sensores de luminosidade e de chuva, entre outros recursos. O elétrico está disponível nas cores preto, branco e prata, com opção de teto bi-ton.