A Fiat anunciou ontem (22), na fábrica de Betim (MG), um investimento de R$ 8,5 bilhões para a produção dos novos motores GSE Turbo no Brasil e lançamento de 15 produtos até 2024, incluindo dois SUVs. Um será derivado do conceito Fastback, que foi exibido no último Salão do Automóvel, tendo como base a picape Toro. O outro tem tudo para ser um compacto, no porte do Jeep Renegade e companhia.

Do montante que será investido no país, R$ 500 milhões serão destinados à nacionalização e produção dos motores turbinados da família Firefly, em uma nova planta de propulsores que será construída dentro do complexo de Betim. A produção começará no fim de 2020, chegando ao primeiro carro do grupo FCA no início de 2021.

O motor menor será 1.0 12V turbo tricilíndrico de estimados 120 cv. O outro vai ser 1.3 16V turbo de quatro cilindros e potência de 150 cv e 180 cv. Segundo fontes ligadas ao grupo FCA, o Compass e o Renegade devem ser os primeiros modelos a receber os novos propulsores.

Ambos os motores terão tecnologias como injeção direta de combustível, sistema MultiAir de duplo comando de válvulas variável, coletor de exaustão integrado ao cabeçote, intercooler água/ar integrado ao coletor de admissão e bomba de óleo variável.

De acordo com a Fiat, haverá ainda uma versão do 1.3 turbo movido somente a etanol. A patente desse motor foi desenvolvida no Brasil e tem como meta aumentar a eficiência da propulsão a álcool e baixar para menos dos atuais 30% a diferença de consumo a favor da gasolina.