Ele é um Mustang, mas não é muscle car. O novo Mustang Mach-E é um SUV elétrico com traços de cupê esportivo que marca a era da eletrificação dos carros da Ford. Atração do Salão de Los Angeles, o modelo será lançado inicialmente nos Estados Unidos, com preços entre US$ 44 mil e US$ 60 mil. Vendas no Brasil? Não há qualquer informação sobre isso por enquanto, mas pelo fato do carro ser produzido no México, há boas chances de que isso aconteça em 2021.

Veículo 100% elétrico, o Mustang Mach-E terá seis versões (Select, Premium, California Router 1, First Edition, GT e GT Performance Edition), com diferenças de acabamento e potência. Serão 255 cv na configuração Select e 282 cv na California Route 1. A Premium terá opção dessas duas primeiras motorizações, com tração traseira, ou ainda uma de 333 cv com tração integral, a mesma configuração da versão First Edition. 

Variante esportiva, a linha GT e GT Performance Edition entregará 465 cv e torque estimado de 84,6 kgfm. O zero a 100 km/h será executado em menos de quatro segundos, de acordo com o fabricante. Ainda conforme a Ford, a autonomia do Mustang elétrico é de 480 km quando equipado com bateria de maior capacidade (opcional) e tração traseira. Na versão de tração integral, o SUV poderá rodar cerca de 430 km com uma recarga.

Polêmica do Mustang SUV à parte, o Mach-E impressiona muito no design e tem um estilo que remete demais ao clássico muscle car. Por dentro, o modelo já segue uma linha mais futurista, com destaque para a enorme tela vertical de 15,5 polegadas da central multimídia. O quadro de instrumentos também é por display digital, porém de menor tamanho. Será que este Mustang vai fazer sucesso?