Fiat lança seu primeiro carro de passeio para até sete
pessoas. Completo, tem motor 2.4, câmbio automático de quatro marchas e é fruto de uma parceria com a Dodge
O Freemont chega às 580 revendas da Fiat no Brasil neste mês com tacada inicial de 1.000 unidades. Mas, apesar do visual parecido com o do Dodge Journey, ótimo espaço interno e preço que deve começar por volta de R$ 80 mil, o mais novo e luxuoso Fiat não será um estouro de vendas em nosso mercado: sua linha de produção, localizada em Toluca (México), precisa escoar a maior parte de sua fabricação para o mercado dos EUA e Europa.
Além dos sete lugares oferecidos na versão Precision (top de linha), o Freemont possui inúmeras atrações. Internamente, o destaque vai para o ar-condicionado com regulagem para as três filas de bancos, sistema Entry n’ Go (que dispensa a chave para abrir a porta e acionar o motor) e até o tecnologia TSC, (Trailer Sway Control), que trabalha em conjunto com o controle eletrônico de estabilidade (ESP) para controlar balanços quando o veículo transporta uma carreta, por exemplo.
O pacote de segurança ativa — com ABS, ESP, ERM (anticapotamento ou Eletronic Roll Mitigation), BAS, ASR — garante rodagem dócil e segura. Nos trechos que trafegamos no asfalto (e longe dele), provocamos os 1.755 kg do Fiat para que tudo caminhasse “para o pior”. Mas, sem muito alarde, os sistemas entraram em ação e o modelo ficou na trajetória.
Como utiliza apenas um motor quatro cilindros 2.4 16V com comando de válvulas variável e câmbio automático de quatro marchas, o Freemont tem comportamento totalmente familiar e comportado. O torque é de 22,4 kgfm, mas o peso do Freemont acalma as acelerações. Os 172 cv a 6.000 rpm também o mantém pacífico nas rodovias.
Com o carro cheio, ou seja, com mais de duas toneladas no total, ele sai do lugar com certa destreza. Não é suficiente para lhe tirar o ar ou fazer um 0 a 100 km/h em tempo ninja, mas é bom para um passeio sossegado com a patroa, crianças, brinquedoteca, mini-zoológico de estimação… Ele tem até mesmo um child booster, que transforma um banco de adultos em um assento para pequenos de até 7,5 anos.
Além da versão Precision, haverá a versão Emotion, mais simples, com assentos para cinco ocupantes. Como o preço desta opção será próximo ao da top, suas vendas virão em menos proporção: apenas 30%, frentes aos 70% da opção top de linha.
Externamente as diferenças estão nas rodas, aro 16” na opção de entrada e 17” na hi-end. Se você é do tipo “roda-maníaco”, saiba que cabe jogo de até 20” com pneus de perfil 40. Aos que ainda não têm filhos e quiserem forrar o porta-malas com uma sonzeira, dá para apavorar: são 580 litros de volume! Os bancos traseiros também podem ser deitados, tornando a cabine uma cama. É quase suficiente para fazer uma mudança, se te botarem para fora de casa. Mas quem te chutar perderá a novidade da Fiat na garagem!
Caso você seja um fã da Dodge e aprecia mais desempenho, a marca norte americana trará para o Brasil a nova versão do Journey nos próximos meses. O modelo custará mais de R$ 100 mil e seu motor será o 3.6 V6 Pentastar, que gera mais de 270 cv e 37 kgfm de torque!