R$ 13 mil! Era o valor pretendido para o investimento no projeto de som desse carro. Porém, um breve diálogo entre o proprietário e o especialista no assunto mudou toda a história — e a brincadeira subiu para R$ 60 mil!

O Infiniti FX 35 é animal por natureza! Seu visual malvado, aliado à carroceria de medidas exóticas (tem quase cinco metros de comprimento e 1,67 metro de altura), tornam o carro, digamos, diferente — as fotos da página seguinte falam por si só. Agora, imagine você com uma “bagaça” dessas nas mãos, com rodas aro 22”, som da pesada, multimídia insana… Um sortudo do interior do Rio de Janeiro tem tudo isso, com nada menos de R$ 60 mil em equipamentos e acessórios. “Conheci o dono do carro em um evento. Ele estava de chinelo e bermuda, totalmente perdido. Jamais imaginei que seria um cliente em potencial, capaz de investir tudo isso em som”, conta Eduardo Castro, da paulistana Krocokar, responsável pela venda da sonzeira.

Som para fora, som para dentro, interatividade… É mais ou menos um resumo das qualidades do sistema desse Infiniti, que começou em um investimento de cerca de R$ 13 mil e foi parar na casa dos R$ 60 mil! “Mostrei para o dono do carro até onde ele poderia chegar. E ele chegou!”, brincou Castro, referindo-se ao enorme valor agregado ao sistema. PlayStation 3, tela LCD de 32” (Samsung, de led), TV digital… Tudo o que envolve interatividade existe dentro desse carro. Se quiser, pode-se curtir a até três programações diferentes dentro do FX 35, simultaneamente!
Difícil mesmo é tentar jogar o Play 3 do porta-malas com o som ligado no máximo — é impossível, definitivamente! Seja pelos 1.100 W RMS despejados pelos quatro subs de 12” JBL ou pelos dois kits duas vias na tampa traseira “assoprando seu cabelo”, a sonzeira é muito forte. Tão forte, a ponto de tirar sua concentração da enorme tela. “Mesmo com toda essa potência, o cara escuta o sistema sempre com volume máximo. Fizemos até alguns esquemas com porta-fusíveis e disjuntores especiais para evitar uma pane por ‘excesso de uso’”, comenta o especialista da Krocokar.
Além disso, fontes especiais também foram aplicadas: enquanto uma altera a recepção de corrente da tela LCD (pois ela é de uso residencial), outra altera os 110/220 Volts da tomada convencional para os 12V automotivo — essa, fica atrás do encosto do banco traseiro. Se por um lado o conjunto sonoro é extremamente forte, por outro tem qualidade acima da média. Seja grave ou estéreo, nada distorce, de forma alguma. Eduardo conta como isso é possível: “Tudo começa ainda nas portas do Infiniti, onde revestimos com material acústico e colocamos kits duas vias Infinity Kappa, com 180 W RMS. Além de cortes específicos pelos crossovers, fizemos um fino posicionamento dos falantes, o que otimizou a resposta dos mesmos e elevou o envolvimento a bordo”.
Vale ressaltar a fonte de alimentação, capaz de “energizar uma usina hidrelétrica”: são dois amplificadores de quatro canais para o estéreo e outros dois para o mono, todos com tecnologia digital e interligados por cabeamento Monster Cable. Conectados também estão unidade principal, DVD-player, receptor de TV digital e navegador GPS. Eles funcionam em conjunto e, no caso do monitor original do painel, de 7”, o pessoal da Krocokar instalou uma película touch-screen, que permite acessar as funções do aparelho com toques na tela — seja do leitor de DVD Pioneer, dentro do vão do apoio de braço, ou dos recursos de navegação e TV aberta.
Para o empresário rodar de boa em sua cidade, Eduardo indicou pneus mais altos, próprios para enfrentar terrenos irregulares. “Ele mora num local onde a pavimentação é bastante judiada, e as rodas Giovanna Wheels iriam para o espaço rapidamente com pneus baixos. Por isso adotei um jogo de Proxes ST 305/40”. Os “borrachudos” em questão vieram da Colonial Racing, parceira da loja.
Questionado se o empresário ficou satisfeito com o megaprojeto, Eduardo foi direto: “Não só ficou satisfeito, como comprou um carro nosso que estava nesse evento”. A caranga em questão era um Smart, cujo pequeno porte não tinha nada a ver com a sonzeira a bordo — proporcionalmente, tão animal quanto a do FX 35!