A Jeep apresentou nesta semana o Grand Wagoneer Concept, modelo conceitual que marca o renascimento de um ícone norte-americano e antecipa a visão do próximo SUV premium de sete lugares da montadora. Para quem não lembra, o nome Wagoneer fez sucesso entre os anos 1960 e 1990 sendo o veículo mais luxuoso do fabricante e o primeiro do mundo com tração nas quatro rodas equipado com transmissão automática.

O lançamento da versão de produção ocorrerá em 2021, nos Estados Unidos. A  vinda ao Brasil é pouco provável, já que a Jeep terá por aqui – também no próximo ano – uma versão de sete lugares do Compass. Nada foi dito ainda sobre motorização, mas a Jeep deu uma dica de que haverá configuração híbrida. Mas não descartemos opções V6 e V8 também!

“Com a eletrificação chegando a todos os modelos da Jeep nos próximos anos e a reintrodução do Wagoneer, cresceremos rapidamente em novos segmentos e espaços premium”, afirmou Christian Meunier, presidente global da Jeep.

Inspirado no original, o Grand Wagoneer Concept já poderia muito bem estar nas lojas, afinal, seu design está mais para um veículo de produção do que propriamente um conceito. O estilo robusto e quadradão é acompanhado de tecnologias como faróis 100% de led e lanternas de led também, que invadem a tampa do porta-malas. As rodas são de 22 polegadas.

Por dentro, o nível de acabamento só não chama mais atenção que as inúmeras telas espalhadas pela cabine. São sete no total, seis delas táteis. Na frente, há quatro displays: quadro de instrumentos e outras três telas sensíveis ao toque, sendo duas no console central e uma para o passageiro. Atrás, mais três telas, uma para cada passageiro.

As versões de produção do Wagoneer e do Grand Wagoneer serão fabricadas na planta de Warren, no estado do Michigan (EUA), perto do centro de Detroit. Como uma homenagem à fábrica e sede da empresa, o teto de vidro panorâmico do conceito exibe um mapa da cidade e sua área metropolitana.