A produção do Chevrolet Camaro está com os dias contados. Para ser mais preciso, 2023 será o ano derradeiro do muscle car. A notícia foi dada nesta semana pelo site americano Muscle Cars & Trucks, que afirma ter fontes seguras na GM que garantem a morte do clássico esportivo.

De acordo com a publicação, não se trata de fake news e a queda nas vendas do modelo estão entre os fatores que motivaram a provável suspensão do desenvolvimento da sétima geração. Fora isso, há uma questão relacionada à plataforma do Camaro. A geração atual é feita sobre a plataforma Alpha, a mesma dos Cadillac ATS e CTS, que deixarão de ser produzidos em 2020 para dar espaço aos novos Cadillac CT4 e CT5.

Esses novos modelos têm como base uma versão atualizada da plataforma Alpha (A2xx), que teria sido descartada para o Camaro. A consequência, portanto, seria o fim de linha do muscle car, algo que já aconteceu em sua história. Em 2002, o Camaro de então quarta geração deixou de ser produzido. O esportivo retornaria somente em 2009, em quinta geração.

A geração atual foi lançada em 2016 e passou por uma controversa reestilização no ano passado, que não agradou o consumidor norte-americano. Tanto é que a GM tratou de revisar o visual do Camaro, reposicionando a gravatinha logotipo entre os faróis, em vez de deixá-la em uma barra preta que dividia a grade.

Aqui no Brasil, o Chevrolet Camaro continua sendo comercializado com a grade polêmica (foto abaixo). Seu preço sugerido é de R$ 328.990 para a carroceria cupê e R$ 365.990 para a conversível.