A galera do Speed Hunters trombou no evento Auto-Jamboree em Fuji Kawaguchi, no Japão, um Skyline como você nunca deve ter imaginado. O modelo, um 2000 GT GC10 de 1968, tomou um banho de rosa pink e, de alguma forma, ainda consegue meter medo.

Talvez a ocasião e o estilo tenham contribuído para que o rosa não seja subestimado. Afinal, o evento era uma reunião de bosozoku, que em tradução livre significa algo como “carros de gangues que correm violentamente”. Ou seja, a preparação ultrapassa a barreira estética para representar um estilo de vida rebelde, cuja mescla entre extravagância e simplicidade e barulheira sem dó são as principais características.

Esse Skyline traduz muito bem isso. Os paralamas gigantes, que anulam as portas de trás, e as rodas Watanabe de 14 polegadas têm correspondência em todos os bosozoku, praticamente. Neste caso, o proprietário foi além e logo pintou até os faróis de rosa e deixou as mangueiras da bomba de óleo para fora do capô, sem grade frontal, a fim de enfatizar o lado simplicista – quase displicente – do estilo japonês badass.

O escape cortado e com saída lateral cumpre o objetivo de atormentar a vizinhança, sem filtrar os roncos ensurdecedores dos carros. Por dentro, o interior é quase original. Quase.

A manopla de câmbio, como o autor da matéria bem observou, lembra as gemas que deram origem ao dinossauros no primeiro Jurassic Park e o ventilador à frente do banco do passageiro é pra dar aquele estilo “f***-s*” na hora de resfriar a cabine.

E aí? Curtiu e pegada de gangue japonesa desse Skyline?