Mais bonita que a geração anterior, polêmica por dividir opiniões com seus faróis assimétricos, a nova BMW S 1000 RR desembarca no Brasil com visual completamente atualizado, motor 8 cv mais potente e custando R$ 91.950. Comparado ao da antiga, o preço da linha 2020 está R$ 8 mil mais caro.

A justificativa para o aumento de cifra está no pacote praticamente 100% novo da superbike alemã. O motor de quatro cilindros em linha de 999 cm³ conta o novo sistema de comando de válvulas variável ShiftCam, já apresentado na nova geração da R 1250GS. Ele entrega 207 cv e 11,5 kgfm de torque, está 4 kg mais leve e já em conformidade com as novas normas Euro5 que entram em vigor no próximo ano na Europa.

O propulsor agora gira até as 14.600 rpm, 400 rpm a mais que na geração anterior. O chassi foi renovado, recebendo maior rigidez e nova balança traseira. Ele também está mais leve; com 3 kg a menos. Ao todo, a S 1000 RR perdeu 11 kg, chegando aos 197 kg.

Na aparência, destaque para o novo conjunto óptico de led simétrico e o painel TFT de 6,5 polegadas, que deixaram a esportiva bem mais moderna. O tanque de combustível está visivelmente mais estreito e, de acordo com a BMW, oferece melhor encaixe para o piloto.

Entre as muitas tecnologias, a nova BMW S 1000 RR conta com oito modos de pilotagem – sendo três para uso em pista -, assistente de trocas de marcha, limitador de pit lane, controle de largada, freios ABS e controle de tração.