A Land Rover revelou nesta semana, em Londres, a segunda geração do Range Rover Evoque. Ou seria um Mini Velar? O fato é que a atualização do modelo de entrada da marca o deixou muito próximo do irmão. Por dentro e por fora.

Faróis e lanternas têm formato quase idêntico aos do SUV maior, sem falar das maçanetas retráteis, que ficam embutidas nas portas assim como no Velar. Na cabine altamente refinada, o volante multifuncional com botões sensíveis ao toque e as duas telas multimídia no centro do painel são outras novidades incorporadas.

Os motores do Evoque de segunda geração também são novos. As opções 2.0 diesel variam de 148 cv a 237 cv, enquanto que os 2.0 a gasolina geram de 237 cv a 296 cv. O câmbio é sempre automático de nove marchas, da ZF, e a tração dianteira.

Haverá também uma versão híbrida de 48 Volts, em que o gerador elétrico auxilia o propulsor a combustão, tal como nos novos híbridos da Mercedes e da Audi. Para 2019, a marca promete ainda a estreia de uma configuração híbrida do tipo plug-in, que carrega em tomadas, combinando motor 1.5 tricilíndrico a gasolina e um elétrico no eixo traseiro.

As vendas do novo Evoque começarão no início do próximo ano, na Europa. A estreia no Brasil deve ocorrer até o fim do primeiro semestre.