Um clássico dos anos 1990 foi apresentado nesta semana, no Salão de Detroit, em nova geração. Foram quase 20 anos de espera, mas finalmente o Toyota Supra está de volta, desenvolvido em parceria com a BMW sobre a mesma base do atual Z4. Ao contrário do roadster, o modelo de marca japonesa só terá versão cupê. A chegada às lojas nos EUA está programada para o segundo semestre.

Curtiu o lançamento? Podemos dizer que gostamos de quase tudo nele, exceto a perda de personalidade visual se comparado com seus antecessores. A dianteira, por exemplo, parece uma mistura de Alfa Romeo 4C com Nissan 350Z. Já a traseira – apesar do design agressivo – traz lanternas espichadas ao estilo das adotadas pelo novo Z4.

As semelhanças com o BMW também são encontradas na cabine do novo Supra. A interface da central multimídia é a mesma e tanto o seletor no console quanto a manopla do câmbio à la joystick remetem aos modelos do fabricante alemão. Ainda assim, o painel do Toyota tem um estilo mais limpo e simples, que combina com a pegada esportiva.

Motor e câmbio são os mesmos encontrados no Z4. Trata-se de um 3.0 turbo de 340 cv e 51 kgfm, acoplado ao câmbio automático de oito marchas. A tração é traseira e a aceleração de zero a 100 km/h, segundo a Toyota, é executada em 4,1 segundos. As rodas de 19 polegadas são invocadas, calçadas em pneus Michelin Pilot Super Sport de 255/35 na dianteira e 275/35 na traseira.

O cupê esportivo agrada por contar com recursos como suspensão adaptativa, controle de largada, diferencial traseiro ativo, que usa um motor elétrico para controlar o torque enviado para as rodas traseiras, e sistema que deixa o ronco do motor mais encorpado. Os freios são da Brembo.

As suspensões do novo Supra, assim como propulsor e transmissão, são iguais as do BMW Z4: braços com articulação dupla na dianteira e multilink na traseira. O ponto positivo nisso é que essa arquitetura veio dos esportivos M3 e M4.

Apesar do visual que não curtimos tanto, seria muito bom ter o cupê renovado no Brasil. Mas a Toyota, infelizmente, sinalizou em Detroit que o Supra não está nos planos para o país.