A McLaren almejava 403 km/h de velocidade máxima com o Speedtrail e foi exatamente esse índice que alcançou, nesta semana, no campo de provas de Johnny Bohmer, na Flórida. Com a expressiva marca, o hiperesportivo desbancou os 386,4 km/h do McLaren F1 e se tornou o carro mais rápido da história do fabricante.

Apelidado de XP2, o protótipo de produção do Speedtrail foi conduzido pelo piloto Kenny Brack, que realizou nada menos que 30 passadas pela reta pavimentada de aproximados 5 km. “Podemos dizer que o programa de testes de alta velocidade do Speedtail foi concluído em diversos locais e comprova sua extrema performance e excelência em engenharia”, afirmou o CEO da McLaren Automotive, Mike Flewitt. Antes de acelerar nos EUA, o modelo já havia sido testado em pistas da Espanha e da Alemanha.

Integrante da família Ultimate – divisão que também inclui os modelos Senna GTR, Senna e P1 – o McLaren Speedtrail é um carro híbrido que associa motor 4.0 V8 biturbo a um elétrico para entregar 1.070 cv e 117,2 kgfm de torque. De acordo com o fabricante inglês, ele vai de zero a 300 km/h em menos de 13 segundos.

A carroceria do Speedtrail, em formato de gota, é toda de fibra de carbono e, para otimizar a aerodinâmica e reduzir o efeito de turbulência, incorpora elementos como câmeras retráteis na função de retrovisores, rodas dianteiras com coberturas fixas e aerofólio automático, que se projeta quando necessário. O peso do modelo é de 1.430 kg e a relação peso-potência, de incríveis 1,33 kg/cv.

Todas as 106 unidades que foram produzidas do hiperesportivo já estão vendidas e as entregas começam a ser feitas em fevereiro.