Ele será um dos destaques do Salão do Automóvel de SP e só começará a ser vendido no primeiro semestre de 2019, mas a Volkswagen já revelou algumas informações sobre sua grande aposta para o segmento de SUVs compactos: o T-Cross.

Futuro rival de Honda HR-V, Hyundai Creta, Jeep Renegade, Nissan Kicks e cia, o utilitário-esportivo construído sobre a plataforma do Polo terá somente opções de motor turbo flex. As configurações de entrada trarão o 1.0 TSI de 128 cv e 20,4 kgfm, enquanto que as mais caras contarão com o 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 kgfm. Ambos serão pareados com o câmbio automático de seis marchas, com opção de trocas sequenciais por aletas atrás do volante.

Com 4,19 metros de comprimento e 1,56 m de altura, o T-Cross nacional terá entre-eixos de 2,65 metros, tal como o sedã Virtus. Comparado ao T-Cross europeu, são 8,6 centímetros a mais. O porta-malas vai variar de 370 a 420 litros, dependendo da posição dos bancos traseiros. Assim como em outros modelos da Volks, o compartimento tem piso que pode ser elevado ou abaixado para criar uma divisória. Solução muito prática!

Nas versões de entrada, as rodas de liga leve do novo SUV serão de 16 polegadas, calçadas em pneus 205/60. Para as configurações de topo, as medidas serão 205/55 R17. Rodas do Jetta e do Passat vão cair bem no modelo, hein?

Um dos opcionais do T-Cross será o teto solar panorâmico. Para a versão mais cara, assim como ocorre com Polo, Virtus, Jetta e Golf, o modelo terá quadro de instrumentos totalmente digital.

A lista de itens de segurança terá controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa e freios a disco nas quatro rodas de série. Ele terá seis airbags também, mas não sabemos ainda se em todas as configurações.

Nada foi dito ainda sobre os preços do VW T-Cross, mas é de se esperar que fiquem na faixa dos rivais. Tomando o Creta como referência (por também dispor de duas opções de motor), temos cifras que variam de R$ 77.890 a R$ 103.990. #ChegaLogoTCross