Sistema de alta definição e entretenimento total! Essas e muitas outras qualidades em um projeto onde o valor do investimento é o que menos importa

Para algumas pessoas, não há limites para investir em sistemas de som! Enquadra-se nessa parcela o dono do Touareg V8 desta matéria, um jovem empresário que faz questão de abusar da tecnologia e do que há de melhor em equipamentos de áudio e vídeo. “É mais fácil trabalhar com clientes como ele, onde a preocupação não está no valor, mas, sim, na qualidade final do projeto”, conta Rogério Belarmino, da Trippyz Technology on Wheels, empresa paulistana responsável pelo trampo.

O posicionamento dos falantes da dianteira, segundo Rogério, foi fundamental para atingir o resultado desejado. “Essa etapa tirou um pouco o sono da galera da instaladora, mas teve papel muito importante para o total aproveitamento do conjunto.”

Nesse caso, o kit duas vias Focal toca nas colunas A, meticulosamente direcionado para o motorista. Apenas com essa medida, o sistema já estaria acima da média, com estéreo chegando aos ouvidos sem qualquer obstáculo. Porém, ainda entrou na jogada um processador de sinal digital 5.1 Alpine. “Esse aparelho é o maior barato. Consigo manipular o tempo e a fase dos falantes, tudo pela tela do DVD-player. É bem nítida a mudança de direcionamento do som, quando você altera os parâmetros”, diz Rogério. Ele salienta que essas regulagens não são para qualquer leigo, e requer um “curso” para dominar o processador.

O esquema de envolvimento também vale para os falantes traseiros (há outro kit duas vias Focal nas portas): como os demais, têm alinhamento de tempo e de fase executados pelo processador digital. “Quando você pega a manha da regulagem, dá para configurar o som da maneira que quiser. Nesse carro, por exemplo, ‘instalei virtualmente’ um canal central no painel, apenas ajustando o conjunto de falantes”, empolga-se o especialista.

Se você espera entrar no Touareg e ser bombardeado por graves, esqueça. O propósito do sistema é qualidade e equilíbrio, com baixas frequências na medida, nada a mais ou a menos! Tanto que Rogério optou por apenas um sub de 10” da JL Audio — os amplis também são da renomada fabricante —, bem ao centro do compartimento de bagagens. Sub, falantes, módulos, megacapacitor… Todos são ligados por fios e RCA (402XLN) Monster Cable. No caso do processador digital, há um cabo de fibra óptica, da mesma marca, fazendo a ponte de áudio entre ele e o DVD-player.

Som cristalino, envolvimento impecável… Tudo perfeito, certo? Digamos que, para o exigente dono do Volkswagen, ainda faltavam algumas coisinhas… Como o entretenimento a bordo que, até então, era exclusivo dele e do passageiro da dianteira. Para isso, adotou outros dois monitores de 7”, nos encostos dos bancos. “Criamos suportes personalizados para posicionar as telas e, ao mesmo tempo, manter as características de fábrica do carro. Se ele quiser tirar os componentes, basta remover as peças e pronto, tudo permanece intacto”, garante o instalador.

No dia das fotos, eu assisti à novela, show de música sertaneja (não que seja meu estilo musical preferido!) e a um filme de ação, todos simultaneamente. Como? Simples: no DVD-player rolava o show, no porta-luvas havia um iPhone com o arquivo de filme e, de um sintonizador de TV digital, vinham os canais abertos. “Pela unidade principal, direciono o áudio e o vídeo que quiser. Se você está no banco traseiro e quer assistir algo diferente, mudo no player e você coloca o fone de ouvido sem fio”, descomplica Rogério, mostrando passo-a-passo como prosseguir.

Confesso que, quanto mais recursos descobria no sistema de som do Touareg, menos vontade eu tinha de ir embora.