A exclusividade da Pagani Automobili, vai muito além do que imaginamos. Horacio Pagani, fundador e chefe de design, utiliza o formato artesanal para construir supercarros capazes de conquistar clientes no mundo todo. E o melhor disso, é que os clientes são fiéis e realizam até encomendas especiais. 

Pagani costuma dizer que o cliente de verdade é aquele que volta a comprar com você mais de uma vez. E ele não estava errado. Ao menos é o que acontece com a sua empresa. O modelo Huayra Codalunga é um exemplo de como as relações com seus clientes fazem toda a diferença para seguir criando novidades automotivas.

Para atender um desejo de dois clientes que fizeram um pedido em 2018, a fabricante italiana decidiu pegar o modelo Huayra Coupé e realizar algumas mudanças para deixar o hipercarro long-tail (ou de cauda longa). O resultado não poderia ser outro, tornar o veículo com design elegante e ainda mais aerodinâmico.

Divulgação/Pagani Automobili

Depois de um desenvolvimento de praticamente dois anos, o Huayra Codalunga vai sair do papel e se tornar uma versão limitada em apenas cinco unidades. A Pagani, produzirá o veículo para rodar em vias públicas e para adquirir uma unidade dessas vai ser necessário desembolsar cerca de 7 milhões de euros, algo próximo a R$ 37,6 milhões em conversão direta. 

Apesar da base principal do Codalunga, ser o Huayra Coupé. O novo modelo passou por uma série de mudanças e o seu design recebeu uma influência direto das pistas. A divisão de projetos especiais da Pagani teve como inspiração a aviação e os carros dos anos de 1960 que correram as 24h de Le Mans. O novo hipercarro acabou ficando com um desenho mais fluido e sem muitos vincos agressivos. 

De acordo com o fundador da Pagani: “Simplificar não é nada simples, e este carro é, acima de tudo, o resultado de uma busca complexa de ideias simples”. Comparado ao Huayra “convencional”, esse modelo recebeu algumas mudanças no capô, com entradas de ar menores em formato de eclipse. 

Já a traseira, teve um acréscimo de 36 centímetros no comprimento em comparação com o Huayra Coupé. Além de receber lanternas circulares e as tradicionais quatro saídas de escapamento alocadas na parte central, mantendo a abertura sem nenhuma grade, o que permite a visualização de alguns detalhes da mecânica do carro.

Divulgação/Pagani Automobili

O interior, luxuoso, tem o contraste entre materiais de couro legítimo e fibra de carbono, acompanhados de aço e alumínio. O painel dos bancos, volante e acabamento, seguem o padrão Pagani com detalhes extremamente delicados e inspirados em um cockpit de avião.

O conjunto mecânico traz o motor Pagani Automobili V12 6.0 biturbo capaz de gerar 840 cv de potência combinado a um câmbio automático de sete marchas. Tudo isso se soma ao peso de 1.280 kg, o suficiente para fazer o Huayra Codalunga ser um hipercarro bem rápido. Mesmo sem os dados divulgados pela fabricante, é esperado que o modelo exclusivo acelere de 0 a 100 em 3 segundos, com a velocidade máxima entre os 300 km/h.

Divulgação/Pagani Automobili