O carro é sensacional, mas seu segmento está cada vez mais fraco em vendas. Por esse motivo, a Volkswagen tirou de linha no Brasil as versões Comfortline e Highline do Golf. Quem quiser o hatch médio, agora só terá disponível a configuração topo de linha, GTI, que parte de R$ 151.530 com o motor 2.0 turbo de 230 cv.

A nova estratégia para o Golf é torná-lo um carro de nicho e símbolo de tecnologia da marca alemã. Tanto é que a versão híbrida, GTE, apresentada no último Salão do Automóvel, será comercializada por aqui até o fim do ano, com propulsor 1.4 turbo e outro elétrico – a potência combinada é de 204 cv.

O fim da produção das configurações 1.0 TSI e 1.4 TSI em São José dos Pinhais (PR) está ligado também ao T-Cross. O novo SUV terá muito mais mercado que o hatch médio, portanto, contará com mais espaço na linha de montagem. O GTI, pra quem não lembra, também é nacional, mas com o lançamento da oitava geração – ainda neste ano na Europa -, voltará a ser importado da Alemanha.

R$ 100 MIL POR UM HATCH 1.0?

Antes de morrer, o Golf Comfortline, equipado com motor 1.0 TSI de 128 cv, tinha preço inicial de R$ 91.790. Com o acréscimo dos opcionais, o valor beliscava os R$ 100 mil. Vale pagar isso por um carro que acaba de sair de linha? Não seria melhor esperar pela chegada do Polo GTS – que deverá ter valor equivalente – ou partir para um Golf GTI usado? Esse é o assunto do vídeo a seguir.

Reestilizado em junho do ano passado no Brasil junto com o restante da gama, o Golf 1.0 TSI trouxe como principal novidade o câmbio automático Tiptronic de seis marchas – até então, seu propulsor de um litro turbo flex só era oferecido com transmissão manual.

Bem equipado, o Golf Comfortline traz de série itens como sete airbags, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, luz diurna de led, controles de tração e estabilidade, rodas de liga leve de 16 polegadas, uma ótima central multimídia com tela sensível ao toque e possibilidade de espelhamento dos sistemas Android Auto e Apple Carplay, volante multifuncional, controlador de velocidade e câmera de ré.

Os únicos opcionais disponíveis são rodas de 17” e teto solar. Recursos como bancos de couro, ar-condicionado digital e até mesmo ajustes elétricos para o banco do motorista fazem falta para um Golf de cifra tão elevada.

Ao volante, o casamento entre câmbio e propulsor agrada bastante. Os 128 cv e 20,4 kgfm garantem acelerações e retomadas de velocidade satisfatórias do Golf 1.0 TSI, além de boas médias de consumo, como você verá no vídeo. Mas daí a valer a compra frente a Polo GTS e GTI seminovo… aperte o play e veja o veredicto.