Recém-reestilizado no país, o Renegade foi apresentado pela Jeep, no Salão do Automóvel de SP, em uma nova série limitada – serão produzidas 250 unidades. Batizada de Willys, em homenagem à marca que criou os primeiros Jeep, começa a ser vendida no primeiro semestre do ano que vem. O preço não foi divulgado, mas por ser baseada na configuração Trailhawk, pode esperar algo acima dos R$ 137 mil.

A série especial será oferecida na cor verde recon, com inscrições Willys nos para-lamas dianteiros e 4-Wheel Drive na tampa traseira, acabamento escurecido nas rodas, emblemas, molduras de grade, para-choques e capas de retrovisores, além de estrela branca nas colunas C e nos encostos dos bancos dianteiros. A motorização foi mantida: motor 2.0 turbodiesel de 170 cv combinado com câmbio automático de nove marchas.

Outro destaque no estande da Jeep é a nova geração do Wrangler. O modelo também estreia no primeiro semestre de 2019, em três versões: Sport, Sahara e Rubicon. A carroceria pode ser de duas ou quatro portas, sempre com o propulsor 2.0 turbo com injeção direta de gasolina, 272 cv e 40,8 kgfm. A transmissão é automática de oito marchas e a tração 4×4 com caixa de redução.

Para o Compass – SUV mais vendido do Brasil -, a Jeep preparou a série especial S, que se baseia na versão Limited Diesel 4×4 e conta com um pacote recheado de tecnologias, em que constam controle adaptativo de velocidade, aviso de colisão frontal com frenagem automática e monitoramento de mudança de faixa com correção ativa e park assist. O modelo, ainda sem preço anunciado, chega às lojas no início do próximo ano, com pintura exclusiva na cor Deep Brown.

Quem também ocupou espaço no estande da Jeep foi a linha reestilizada do Cherokee. O SUV com alterações visuais e mesma mecânica do Wrangler, no entanto, foi trazido à mostra para a marca analisar a aceitação do público. A possível importação estaria programada para o segundo semestre de 2019.