Fim do mistério. A Toyota revelou nesta quinta-feira (9) o novo Corolla Cross, SUV médio que chega para disputar vendas com modelos como Jeep Compass, Chevrolet Equinox, Peugeot 3008 e os futuros Ford Territory e Volkswagen Tarek. Ao contrário do que todos especularam, a novidade não seguiu as linhas do RAV4 no design e tem estilo próprio e mais conservador, digamos assim.

Feito sobre a mesma plataforma do Corolla sedã, o lançamento será fabricado no Brasil em 2021 e provavelmente contará com as mesmas opções de motorização do irmão: motor 2.0 flex de até 177 cv e câmbio CVT de dez marchas virtuais na versão a combustão e propulsor 1.8 a gasolina de 98 cv pareado a outro elétrico de 72 cv na configuração híbrida, para gerar uma potência combinada de 122 cv.

De acordo com a Toyota, o novo SUV registra consumo médio de 23,2 km/l nas versões híbridas, enquanto que as opções a gasolina fazem 15,4 km/l – esses números seguem os padrões do novo ciclo de condução europeu.

O Corolla Cross tem 4,46 metros de comprimento, 1,82 m de largura, 1,62 m de largura e 2,64 m de entre eixos, 4 cm a menos que o sedã. O porta-malas tem 487 litros, mas a capacidade é reduzida para 440 litros caso o comprador opte pelo estepe de uso temporário, que rouba parte do volume.

Na lista de equipamentos do Corolla Cross, destaque para itens como frenagem automática de emergência, assistente de permanência de faixa, piloto automático adaptativo, câmeras com visão 360°, alerta de tráfego traseiro, além de seletor de modos de condução, sete airbags, multimídia com tela de nove polegadas sensível ao toque, detector de pontos cegos nos retrovisores, ar-condicionado digital de duas zonas com saída de ventilação para o espaço traseiro, duas entradas USB para quem vai no banco de trás, rodas de liga leve de 18”, teto solar, porta-malas com abertura elétrica e chave presencial.

Embora ainda seja muito cedo para falar sobre preços no Brasil, onde o Corolla Cross deve estrear no segundo semestre de 2021 – a produção será na fábrica de Sorocaba (SP), onde a montadora está investindo R$ 1 bilhão para montar carros com a plataforma TNGA -, podemos esperar algo em torno de R$ 150 mil a R$ 200 mil.