A Toyota finalmente vai ingressar no segmento de SUVs compactos no Brasil. A marca japonesa anunciou neste mês um investimento de R$ 1 bilhão no parque industrial de Sorocaba (SP) – onde é fabricada a linha Etios e Yaris – para a construção de um novo modelo no complexo em 2021.

O veículo inédito será baseado no crossover DN Trec, que surgiu pela primeira vez como protótipo no Salão de Tóquio de 2017 e que, no início de novembro, será apresentado em versão definitiva, no Japão. Claro que a Toyota ainda não oficializou que a injeção bilionária na fábrica de Sorocaba será destinada a um utilitário-esportivo, mas pode acreditar que será, sim, um futuro rival para Jeep Renegade, Honda HR-V, Volkswagen T-Cross e cia.

É muito provável também que o novo SUV compacto seja feito sobre a plataforma TNGA GA-B, uma versão encurtada da TNGA utilizada pelos novos Corolla, Prius e RAV4 e que servirá de base para a futura geração do Yaris. Outro destaque dessa plataforma é o fato de estar preparada para receber motorizações híbridas.

Mas por que só agora (ou melhor, só daqui dois anos) a Toyota terá um produto para disputar um segmento altamente desejado no país? Há duas respostas para essa pergunta. A primeira diz respeito ao modelo C-HR, que foi descartado por ser pequeno e – caso fosse comercializado por aqui – muito caro. A segunda tem a ver com o Corolla. A Toyota realmente precisava correr para lançar um utilitário-esportivo compacto no Brasil tendo na manga um sedã médio que, atualmente, só não vende mais que o Renegade, considerando todos os SUVs oferecidos em nosso mercado? Definitivamente não! Mas esse pensamento mudou, e veremos em 2021 qual será a do SUV compacto da marca japonesa.