Os carros elétricos já são uma realidade, e para um futuro não tão distante assim. As montadoras trabalham cada dia mais para oferecerem carros eletrificados em seus catálogos, porém o que ainda falta para fortalecer esse mercado não é só veículos mais acessíveis no preço, mas também postos de recarga rápida nas cidades e rodovias pelo Brasil. 

Com intuito de construir uma rota elétrica que possa proporcionar a conexão ao mercosul, a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), do Rio Grande Do sul, divulgou nesta semana, um projeto em parceria com a Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D) e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para instalar pontos de recarga elétrica ao longo de 905 quilômetros do território gaúcho. 

A proposta é iniciar na cidade de Torres com destino final no Uruguai. Os eletropostos estarão presentes em Osório, Eldorado do Sul, Barra do Ribeiro, Cristal, Pelotas, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar (que, em razão da extensão territorial, receberá duas estações), Arroio Grande e Jaguarão. O Uruguai já possui uma rede de estações de recarga, significando que quem utilizar a rota elétrica do Mercosul poderá chegar até a Argentina.

Se com os veículos a combustão precisamos nos atentar aos postos de combustíveis quando viajamos, com carros elétricos não será diferente, porém visando os postos de carga rápida de energia. A nova rota no estado gaúcho também irá proporcionar acesso ao estado de Santa Catarina que a partir de lá, oferece conexão de eletropostos pelas Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), podendo se deslocar até o Paraná com atendimento da Companhia Paranaense de Energia (Copel) que permitem que os veículos elétricos cheguem até o Paraguai e a Argentina.

A rota tem previsão de ser finalizada e entrar em funcionamento no primeiro semestre de 2023. De acordo com a UFSM, o orçamento do projeto é de aproximadamente R$ 1,3 milhão, com estimativa de que mais de R$ 6 milhões sejam investidos na importação de equipamentos e na realização das obras. Para a realização dos testes e pesquisa, a Universidade escolheu um veículo da Audi. O SUV e-tron, avaliado em mais de R$ 600 mil, tem autonomia de 436 km e fará parte de uma série de testes que busca utilizar as informações extraídas para projetos futuros.  O modelo foi selecionado devido ao diferencial de armazenar os dados enquanto ele roda, para posteriormente serem acessados para o estudo. 

Rota Mercosul / Divulgação – UFSM