O carro é sensacional, mas seu segmento está cada vez mais fraco em vendas. Por esse motivo, a Volkswagen está tirando de linha no Brasil as versões Comfortline e Highline do Golf. Quem quiser o hatch médio, agora só terá disponível a configuração topo de linha, GTI, que parte de R$ 149.290 com o motor 2.0 turbo de 230 cv.

A nova estratégia para o Golf é torná-lo um carro de nicho e símbolo de tecnologia da marca alemã. Tanto é que a versão híbrida, GTE, apresentada no último Salão do Automóvel, será comercializada por aqui até o fim do ano, com propulsor 1.4 turbo e outro elétrico – a potência combinada é de 204 cv.

O fim da produção das configurações 1.0 TSI e 1.4 TSI em São José dos Pinhais (PR) está ligado também ao T-Cross. O novo SUV terá muito mais mercado que o hatch médio, portanto, contará com mais espaço na linha de montagem. O GTI, pra quem não lembra, também é nacional, mas com o lançamento da oitava geração – ainda neste ano na Europa -, voltará a ser importado da Alemanha. Isso se realmente vier para o Brasil.

Um triste desfecho para o modelo, que em fevereiro já tinha dado adeus à variante perua, Golf Variant.