A Volkswagen revelou nesta semana as imagens da linha reestilizada do Passat europeu, o mesmo que é vendido no Brasil. O facelift não trouxe alterações significativas do lado de fora, mas deixou o sedã ainda mais tecnológico e semi-autônomo. A chegada do modelo ao nosso país deve ocorrer até 2020. No Velho Continente, a pré-venda inicia em maio e as entregas, em agosto.

O novo Passat passa a contar com o pacote IQ.Drive, que inclui recursos como o controlador adaptativo de velocidade e assistente de permanência de faixa para velocidades até 210 km/h. O pacote traz ainda leitor de placas de trânsito com detecção de rotatórias e alças de acesso, além de sistema de frenagem de emergência, capaz de frear o carro sozinho em situação de perigo. E o que tudo isso significa na prática? Que o Passat anda praticamente sozinho, controlando a velocidade, o movimento do volante e as decisões de acelerar mais um pouco ou de reduzir o embalo conforme as placas e as vias.

Apesar de discretas, as mudanças estéticas da parte externa merecem menção. Os faróis estão mais afilados e são totalmente de led. A grade está um pouco maior, lembrando a do irmão Arteon, e o para-choque foi redesenhado. Na traseira, destaque para o novo desenho interno das lanternas de led e a inscrição do nome Passat na tampa do porta-malas.

Por dentro, as alterações são mais visíveis, graças à adoção do novo volante da Volkswagen – que estreou no T-Cross europeu -, central multimídia maior e novos detalhes, como o nome do carro inscrito acima do botão do pisca-alerta. Na linha anterior, esse espaço era ocupado por um relógio analógico.

O Passat reestilizado pode ser equipado com motor 1.5 TSI de 150 cv, 2.0 TSI de 190 cv e 2.0 TSI de 272 cv, todos esses movidos à gasolina. Há também quatro configurações a diesel: 1.6 TDI de 120 cv, 2.0 TDI Evo de 150 cv (estreante de uma nova geração de propulsores diesel da Volks), 2.0 TDI de 190 cv e 2.0 TDI de 245 cv. As opções de câmbio são manual de seis marchas e DSG de dupla embreagem e sete velocidades.

Na versão híbrida GTE, o Passat utiliza motor 1.4 TSI à gasolina de 150 cv e elétrico de 115 cv, gerando uma potência combinada de 218 cv. Alimentado por uma bateria de 13 kWh (a anterior era de 9,9 kWh), o propulsor elétrico tem autonomia de 55 km sem auxílio do a combustão. A recarga pode ser feita em tomada ou pela energia dissipada pelos freios e pelo motor à gasolina. No Passat GTE, a transmissão é automática de seis marchas, especial para híbridos.