Uma homenagem à capital da Itália e aos tempos da chamada Dolce Vita – estilo tipicamente italiano que visa desfrutar os prazeres da vida. Esta é a essência da nova Ferrari Roma, macchina esportiva apresentada esta semana pela marca do cavalo rampante. 

O design marcado por linhas simples e fluidas obviamente impressiona no cupê 2+ (configuração inventada pela Ferrari), mas o conjunto mecânico também se destaca: motor central-dianteiro 3.9 V8 turbo de 620 cv e 77,5 kgfm de torque, combinado com um câmbio de dupla embreagem e oito marchas.

De acordo com a Ferrari, a Roma vai de zero a 100 km/h em 3,4 segundos, de zero a 200 km/h em apenas 9s3 e atinge 320 km/h de velocidade máxima. Números expressivos para um Gran Turismo de 1.570 kg, que utiliza 70% de novos componentes em sua estrutura e carroceria; visando redução de peso e maior rigidez.

No quesito tecnologia, destaque para o sistema de controle de tração e estabilidade Slide Slip Control 6.0, além do Ferrari Dynamic Enhancer, que controla o ângulo de esterço da direção e a pressão hidráulica do sistema de freios. O escapamento conta com um novo sistema de válvulas de desvio, em vez dos tradicionais silenciadores, para emitir um som mais marcante. Já a nova transmissão foi desenvolvida para reduzir o consumo e as emissões de poluentes, mas também aumentar a velocidade e a suavidade das trocas. 

E que tal o visual da Ferrari Roma? Na dianteira, a grade inova por ser perfurada apenas nos pontos necessários para refrigeração do radiador. Os faróis são de led adaptativos e têm uma faixa de luz horizontal que confere um estilo mais nervoso ao esportivo. A traseira traz lanternas duplas bem afiladas e um spoiler integrado.

Por dentro, o conceito de duplo cockpit cria dois espaços bem separados na cabine, um para o condutor e outro para o ocupante. O quadro de instrumentos é totalmente digital e tem tela de 16 polegadas. A multimídia central e vertical é de 8,4” e, no lado do passageiro, ainda há outro visor.