Spoiler importantíssimo: o vídeo a seguir não é um comparativo, afinal, não haveria razão de confrontar um sedã médio com câmbio manual e um SUV luxuoso recheado de tecnologias de condução semiautônoma. Trata-se, sim, de uma reunião de extremos. De um lado, o Honda Civic Sport, uma espécie em extinção tabelada em R$ 92.300. Do outro, o Volvo XC90 na versão Inscription T8, que parte de R$ 399.950 e traz tudo (ou quase) que um motorista pode ter em termos de conforto, comodidade e segurança.

Independentemente de sua preferência, o fato é que você precisa conhecer esses dois modelos. Sugiro, inclusive, a escolha do Civic como primeira opção para fazer um test-drive. Não por ser o mais acessível, mas porque sabe-se lá até quando ele será oferecido com câmbio manual. No Brasil, aliás, todos os seus rivais só são comercializados com transmissão automática.

Ninguém mais quer saber de pisar em embreagem, é verdade. Mas bastam alguns quilômetros a bordo da versão de entrada do Civic para o condutor questionar se precisa mesmo de um carro automático. O modelo combina, como poucos de sua categoria, prazer de dirigir e esportividade.

A transmissão manual de seis marchas é a responsável por aguçar a sensação esportiva num carro que tem muitas outras características esportivas. Desde o visual até a posição bastante baixa ao volante. O desempenho está longe de ser sua principal virtude, mas os 155 cv e 19,5 kgfm do motor 2.0 flex são bem gerenciados pelo câmbio de engates curtos e precisos.

Resumindo, é um carro bastante gostoso de dirigir, que não abre mão do conforto e também de tecnologias, como controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, suspensão traseira do tipo multilink e comodidades como o freio de estacionamento eletrônico com a função brake hold, que permite ao motorista tirar o pé do freio em uma parada, seja no plano, descida ou subida.

Mas quando o assunto é tecnologia, poucos carros nos dias atuais conseguem ser mais impressionantes que o Volvo XC90. O SUV híbrido vem equipado com controlador adaptativo de velocidade, tem câmeras por todos os lados e assistente de pilotagem semiautônoma, que possibilita ao condutor tirar as mãos do volante por alguns segundos e ser, literalmente, um passageiro no modelo. Eu, obviamente, mostro esse recurso em ação no vídeo.

Tal como o Civic, o motor do XC90 é um 2.0… mas dotado de turbo e injeção direta de gasolina. Há ainda um propulsor elétrico do tipo plugin no eixo traseiro, que pode ser carregado em tomadas 12V. Juntos, os motores totalizam 407 cv e 65,2 kgfm de torque. E nada de câmbio manual aqui; a transmissão é automática de oito marchas e faz trocas praticamente imperceptíveis. Só no modo de pilotagem esportiva que se sente um leve tranco, algo esperado nessa condição.

Mais do que mostrar o XC90 T8 e o Civic Sport em ação, o vídeo desta matéria tem como objetivo uma reflexão sobre nossa realidade: carros com câmbio manual estão fadados mesmo à extinção? O futuro (nada distante) será dominado pelos SUVs de extrema tecnologia? Quero saber sua opinião!