O projeto do Chrysler 300 C montado na Road Sound (SP), tem tudo o que se espera de uma sonorização de responsa: graves imponentes, visual arrojado e um quê de extravagância. A palavra é exatamente essa quando o assunto é a garrafa de uísque Johnnie Walker Blue Label que está no porta-malas. Para os menos entendidos em prazeres etílicos, a designação Blue Label determina que o conteúdo da garrafa seja uísque com 21 anos de envelhecimento. E também quer dizer que se trata de uma bebida com preço na casa dos R$ 800. Mas isso é detalhe…

BX Cral_610x200

300C

A ostentação de verdade está no sistema de áudio, tão bacana que alçou o 300 C ao posto de carro-show da loja. “O proprietário usa o carro para dar uns rolês e ouvir um som com os amigos, mas ele deixa com a loja quando temos eventos e nos ajuda na divulgação”, conta Marcos Antônio Benazzi, o “Marcão”, responsável pelo projeto, ao lado de Roberto Paulo de Oliveira, dono da empresa. E apesar da extravagância no som, o dono do carro prefere não aparecer. E também preferiu que a unidade principal original do 300 C não fosse removida. “Optamos por manter o aparelho de fábrica no painel e não perder o relógio que vem no acabamento”, conta Marcão. Um conversor de saída fio para RCA foi utilizado para mandar o sinal da unidade para os dois amplificadores do sistema: um DAT PR 4160 estéreo e um JL Audio HD 1200/1 mono. “O corte de canais é feito pelo aparelho original do carro, que tem o recurso”, revela.

300c8

O som interno vem do kit duas vias DAT EX 750, instalado nos locais originais das portas do Chrysler. “Mantivemos tudo como vem de fábrica e removemos os dois alto-falantes de 6×9” do tampão traseiro, tapando o vão com tecido ortofônico, para permitir a passagem dos graves do porta-malas para o habitáculo”, acrescenta. As baixas frequências vêm de um par de subwoofers JL Audio 12W6V3-D4, instalados em caixas dutadas de 56 litros cada. “Construímos caixas com duto do tipo pórtico, retangular, que faz uma espécie de curva dentro da caixa, dando o comprimento correto para a sintonia em 45 Hz”, explica Marcão.

tireshop

O acabamento com acrílico faz parecer que os dois subwoofers ocupam a mesma caixa, mas são dois compartimentos. Suportes feitos com acrílico e LED internos dão o toque visual. “Eu confeccionei no soprador e os LEDs são de fita”, ensina o técnico. Com refresco vindo de dois coolers, os módulos de potência ficam acomodados no assoalho do bagageiro. À esquerda dos amplificadores está embutida a bateria original do carro, que já vem de fábrica no compartimento de malas. No lado direito, há um espaço para gelo e petiscos que acompanham a curtição. Na parte de baixo do acabamento das caixas dos subwoofers, há uma bandeja retrátil, revestida com espelho, puxada para proteger o nicho dos amplificadores quando a festa está rolando. A garrafa de uísque fica embutida na lateral, numa base acomodada sobre um servo-motor de vidro elétrico. Basta apertar o botão no controle remoto que a base é projetada para a frente, permitindo o acesso à bebida. O motor 3.6 V6 de 286cv do Chrysler 300 C funciona somente a gasolina, mas quem estiver na festa com o porta-malas aberto pode consumir álcool e curtir uma sonzeira. Desde, claro, que não dirija depois!

Texto e fotos Arquivo FULLPOWER

BX-MCrazy_RAW_RodasSRTJeep_Banner-1024x576

Equipamentos

Unidade principal > 2 Din original de fábrica

Falante > 1 kit duas vias EX750, de 6” – Dat

Falante > 2 subwoofer 12W6V3, de 12” – JL Audio

Amplificador > 1 DAT PR4160 de 4 canais

Amplificador > 1 JL Audio HD1200/1

Upgrades > Destravamento de tela, antena digital de TV e iluminação de LED