Impossível não lembrar do McLaren F1 ao ver o Gordon Murray T.50, né? Mas não poderia ser diferente, afinal, o novo hipercarro – revelado há poucos dias na Europa – foi criado por Gordon Murray, designer responsável por vários Fórmula 1 de sucesso (como o McLaren MP4/4 do primeiro título de Ayrton Senna) e também famoso por ser o pai do…McLaren F1! Podemos dizer então que o T.50 é o herdeiro de direito do clássico superesportivo dos 1990, que já foi o mais veloz do mundo. E acredite, você precisa conhecer essa nova máquina. Por isso, listamos cinco coisas sobre o Gordon Murray T.50:

1- DESIGN

Com chassi e carroceria em fibra de carbono, o Gordon Murray T.50 resgata o estilo do McLaren F1 com uma silhueta bastante aerodinâmica e se assemelha ao antigo superesportivo especialmente no desenho da dianteira, embora adote, claro, tecnologias mais modernas, como faróis de led. As duas portas se abrem para cima, como no F1. Até os porta-malas escondidos em nichos ao lado do carro são similares ao McLaren. 

A traseira chama atenção pelo ventilador – sobre o qual falaremos mais adiante – que possibilita seis modos de ajuste aerodinâmico: Auto, Braking, High Downforce, Streamline e V-Max Boost. Dois deles são automáticos (Auto e Braking), e os demais são selecionáveis pelo motorista.

Na cabine, destaque para o layout com banco do motorista na posição central e dois assentos para os ocupantes posicionados nas laterais – sim, são três lugares à la McLaren F1. O console de fibra de carbono exposta fica do lado direito, com a alavanca de câmbio emoldurada por uma placa de titânio. Os pedais também são feitos de titânio e o quadro de instrumentos tem duas telas digitais, uma de cada lado do enorme conta-giros analógico.

2- MOTORIZAÇÃO

O Gordon Murray T.50 é equipado com um motor Cosworth 4.0 V12 aspirado de 662 cv e 47,6 kgfm de torque a 9.000 rpm, sendo que 71% da força surge já às 2.500 rotações. Mas o mais impressionante é que o T.50 é capaz de sair da marcha lenta e atingir 12.100 rpm em ínfimos 0,3 segundo.

Com tração traseira e câmbio manual de seis marchas, o hiperesportivo conta ainda com tecnologia híbrida leve para atender às regras de emissões de poluentes na Europa. O gerador elétrico de 48V é responsável por movimentar a ventoinha do ventilador traseiro do T.50 e garante, ainda, uma potência extra de quase 50 cv ao modelo no modo de condução mais esportivo. Dados de aceleração e velocidade máxima não foram divulgados.

3- VENTILADOR TRASEIRO

Além de elevar a potência do T.50, a peça de 400 milímetros gira a até 7.000 rpm e trabalha com as asas traseiras ativas e os difusores para aumentar a pressão aerodinâmica em 50% no modo de condução normal e em 100% no modo Braking. De acordo com o criador do carro, o ventilador permite também uma redução de 12,5% no arrasto aerodinâmico, além de reduzir o espaço necessário para frenagens ao auxiliar o aerofólio traseiro.

4- PESO, MEDIDAS, FREIOS E PNEUS 

Com apenas 980 kg, o Gordon Murray T.50 é mais leve que um VW up! e, se comparado ao McLaren F1, é 152 kg mais enxuto. O hipercarro tem 4,35 metros de comprimento, 1,85 m de largura e 1,16 m de altura. O entre-eixo é de 2,70 m, enquanto as bitolas dianteira e traseira têm 1,59 mm e 1,52 mm, respectivamente.

Os freios são da marca Brembo, com discos de carbono-cerâmica nas quatro rodas, com 370×34 mm na frente e 340×34 mm atrás e mordidos por pinças de seis pistões e quatro pistões, respectivamente. As rodas são de alumínio, de 19×8,5 polegadas na dianteira e 20×11 na traseira, calçadas com pneus Michelin Pilot Sport 4S de 235/35 na frente e 295/30 atrás.

5- PREÇO

Limitado em 100 unidades, o Gordon Murray T.50 custará o equivalente a R$ 16 milhões. As entregas serão feitas a partir de 2022 e cada cliente poderá conversar com o famoso designer em pessoa para personalizar os detalhes do hiperesportivo.