A Bugatti revelou na última semana o Divo, hiperesportivo baseado no velocíssimo Chiron. Como todo Bugatti que se preze, a novidade seduz no design e no desempenho, mas… não é capaz de superar a barreira dos 400 km/h, como seu “irmão”, que atinge 420 km/h de máxima.

O Divo “só chega” a 380 km/h, mas mesmo assim consegue ser muito mais rápido em uma pista. Isso se deve ao objetivo da marca em torná-lo extremamente eficiente em downforce. Segundo a Bugatti, o Divo gera 90 kg a mais de pressão aerodinâmica do que o Chiron e é 35 kg mais leve. Na prática, isso o faz ser 8 segundos mais veloz em uma volta no circuito italiano de Nardò.

A motorização não sofreu alteração. Tal como o Chiron, o Bugatti Divo traz motor W16 quadriturbo de 1.500 cv, desenvolvido em dinamômetro. O câmbio é automatizado de dupla embreagem e sete marchas e a tração, integral.

De acordo com o fabricante, as 40 unidades produzidas do Divo (cujo nome presta uma homenagem ao piloto francês Albert Divo, vencedor das edições de 1928 e 1929 da corrida italiana Targa Florio a bordo de um Bugatti Type 35) já foram vendidas, ao preço de 5 milhões de euros, cerca de R$ 23,9 milhões na conversão direta.