Começou o Salão de Paris e, com ele, a jornada da sétima geração do BMW Série 3, que já tem passaporte carimbado para o Brasil, onde começa a ser vendido no segundo semestre do ano que vem. O lançamento na Europa ocorrerá um pouco antes, em março.

O sedã alemão foi apresentado nesta terça-feira (2) na mostra francesa e logo de cara impressionou com seu estilo nervoso e recheio tecnológico. Está com jeitão de Série 7 e, tal como seus rivais de segmento, munido agora de recursos de condução semiautônoma.

A mudança de geração fez o Série 3 crescer. O modelo está 7,6 cm mais longo (deixando-o com 4,71 metros), 1,6 cm mais largo (1,83 m) seu entre-eixos esticou 4,1 cm (2,85 m). Na balança, o BMW emagreceu 55 kg e seu coeficiente aerodinâmico ficou em ótimos 0,23. A distribuição de peso entre os eixos é de esportivo: 50/50.

Foram anunciadas quatro motorizações para o novo Série 3, sendo duas a gasolina (sempre pareadas com câmbio automático ZF de oito marchas) e duas a diesel (com transmissão manual de seis velocidades), com potências variando entre 150 cv e 265 cv. Somente a configuração 320d terá opção de tração integral.

Como todo BMW que se preze, o Série 3 tem várias opções de rodas, com medidas entre 16 e 19 polegadas. Os pacotes de personalização da divisão Motorsports também serão oferecidos para o sedã.

Por dentro, a cabine totalmente renovada traz quadro de instrumentos digital, central multimídia com tela sensível ao toque, alavanca de câmbio com design atualizado, freio de mão eletrônico, além de tecnologias como frenagem de emergência automática, controle adaptativo de velocidade, alerta de permanência de faixa e de tráfego cruzado.

Futuramente, como já era de se esperar, teremos a estreia do M3 em nova geração e também de uma versão híbrida do tipo plug-in, com motor elétrico que pode ser recarregado em tomadas convencionais. #ChegaLogoSérie3