Primeiro bicombustível JAC na pista

Data:

Compartilhe:

Há poucas semanas, a JAC apresentou seus novos J3 sedan (chamado Turin) e hatch para 2014. Eles passaram por um face-lift, ou seja, uma mudança suave no visual externo para ganhar fôlego antes de uma alteração ou rejuvenescimento total do modelo. FULLPOWER levou para a pista de Interlagos (SP) um J3S, ainda com a cara antiga, mas com configuração idêntica a do carro do ano que vem.
Isso significa ter motor 1.5 flexível sob o capô, com duplo comando de válvulas no cabeçote 16V. É o mesmo quatro cilindros do J5, de 127 cv a 6.000 rpm, 15,5 kgfm de torque a 4.000 giros, assim como o câmbio manual de cinco marchas. Não há reservatório de gasolina e um sistema pré-aquece o etanol antes de dar a primeira partida do dia. Rodas são aro 15” com pneus 185/60, há faixas adesivas nas laterais e costura vermelha em detalhes do revestimento. Para a importadora, eles o chamam de esportivo. Para nós, é apenas uma maquiagem e vamos tratá-lo como uma versão diferenciada, com um motor mais esperto do que o 1.4 (na verdade 1.332 cm3 do J3 convencional).

O J3S surpreende no rendimento: faz de 0 a 100 km/h em 9s7 e beira os 200 km/h de máxima: 196 km/h, em quinta. Para o piloto Dennis Dirani, respostas decentes na pista, especialmente pelo peso baixo: 1.070 kg. “Demos azar no dia de medição do J3S. Estava chovendo e depois da surpresa com o J2 (FULLPOWER #129), eu botava fé nesse modelo também. Como todo hatch com essa configuração, ele se mostrou muito dianteiro, escorregava muito com as rodas da frente, especialmente na chuva. O câmbio tem trocas muito precisas, mas a alavanca curtinha e o console lá embaixo incomodou um pouco. Se o banco do motorista tivesse regulagem de altura, poderia ter posicionado o assento mais para baixo e ficar em melhor posição”, comenta o piloto. Apesar de bem equipado e “completão”, como dizem nas propagandas da JAC, realmente o banco merecia um ajuste de altura.

O painel de instrumentos é bem interessante, com o conta-giros “dentro” do velocímetro (veja foto na página à direita) e fica fácil de acompanhar o rendimento. Com a chuva fina e o frio paulista durante a medição, as voltas foram mais lentas do que o esperado, assim como a velocidade atingida nas retas e as marchas utilizadas.
“Se estivesse seco, usaríamos certamente de terceira à quinta. Porém, a pista molhada obrigou a usar até segunda marcha, pois a aproximação de algumas curvas no miolo foi feita em baixa velocidade e sair em terceira com giro muito baixo prejudicaria. Preferi enfiar segunda e dosar o acelerador do que tentar fazer o giro levantar em terceira marcha. Além disso, coloquei quinta apenas no final da Reta dos Boxes. A chuva impediu que eu enfiasse o pé na Curva do Sol, por exemplo, para ganhar velocidade e chegar ao final da Reta Oposta em quinta, cheião. Fui até quarta apenas e tive de tirar o pé nas três voltas”, diz Dirani.

Com freios a discos na dianteira e tambores na traseira, essa falta de velocidade na Oposta também evitou esforço extremo nas frenagens. Isso garantiu ao sistema eficiência durante todo nosso FULLPOWER Lap com ele. O ABS de 8a geração segurou bem o baixo peso da viatura, sem bloquear rodas/pneus. Caso tivesse um pouco mais chão, uma suspensão com altura reduzida em relação ao solo (ele tem mesmo acerto que o J3) e mais firme seria possível abusar mais e baixar os números do cronômetro. Mas, altão, com pneus 185/60 R15, complica a vida na pista. Para as ruas, segurança e conforto estão garantidos.

equipadão mesmo

Apesar de os bancos não terem opção de couro direto da JAC, o consumidor que assim quiser poderá pedir na concessionária ou em lojas especializadas no revestimento. Ele vem com airbag duplo, vidros elétricos nas quatro portas, ABS e EBD para os freios, sistema de áudio e custa a partir de R$ 37.490. Como efeito comparativo, um J3 convencional e equipado com o motor 1.332 cm3, parte de R$ 35.990.
No cronômetro
Essa diferença de motor seria gritante no cronômetro: tanto que um J3 normal precisa de dois segundos extras para chegar aos 100 km/h, se comparado ao S: 11s7. Na pista, mesmo sob chuva, o J3S mandou ver, virando 2min24seg, pouco atrás do irmão menor, o J2, que ocupa a 16ª posição. Se estivesse seco, viria bem perto do Idea Sporting, na casa do 21 segundos!

 

Texto: Eduardo Bernasconi

Fotos: João Mantovani

Redação
Redaçãohttps://www.revistafullpower.com.br
O guia que te ajuda a escolher seu próximo carro, acessórios, produtos e serviços automotivos.

━ Relembre ━

Inscreva-se em
nossa Newsletter

━ Mais Lidas da Semana ━

As 5 marcas de bateria com melhor reputação, segundo o Reclame Aqui

Você já parou para pensar na importância da bateria...

Jeep relança Wrangler com pintura cor-de-rosa nos EUA

Após receber uma onda de pedidos, a Jeep decidiu...

BMW X5 será o primeiro carro híbrido plug-in produzido no Brasil

O Brasil está prestes a receber seu primeiro veículo...

Nova picape Chevrolet S10 tem pré-venda iniciada por R$ 281.190

Com apresentação ao público marcada para a próxima semana...