A Mercedes-Benz tem motivos para comemorar a venda de 10 mil caminhões customizados, incluindo a soma de todas as opções de grandes veículos (Accelo, Atego, Axor e Actros) produzidos pela montadora aqui no Brasil. Para a Mercedes, é um resultado expressivo, levando em consideração que vários setores da empresa estão envolvidos em uma área focada em oferecer uma experiência diferente para os clientes.

A montadora possui um Centro de Customização de Caminhões (CTT) que fica instalado dentro da fábrica de São Bernardo do Campo -SP. É lá que as coisas começam na hora de um pedido personalizado. Várias áreas como Marketing e Estratégia de Produto, Desenvolvimento, Engenharia, Produção, Logística, Custos, Controlling, Vendas e Peças & Serviços estão envolvidas. Entre os 10 mil caminhões vendidos, 8 mil unidades foram destinadas especialmente para o mercado nacional, enquanto 2 mil foram exportadas. 

Divulgação/Mercedes-Benz

De acordo com Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil: “Nos primeiros sete anos do CTT, de 2015 a 2021, chegamos a 9.000 caminhões vendidos, o que dá uma média de 1.285 unidades por ano. Esse resultado mostrou a consolidação dessa solução para os nossos clientes, mesmo levando em conta os dois primeiros anos da pandemia, que afetou as demandas interna e externa”. Tanto é que em apenas cinco meses deste ano, até maio, já superamos 1.000 unidades, retomando um bom ritmo de vendas. Nossa expectativa é entregar 3.200 caminhões customizados em 2022”.

No CTT existem tipos de modificações, adaptações e personalizações que podem ser feitas para atender a demanda específica de cada cliente. E tudo isso acontece por uma equipe com experiência na fabricação de protótipos. Além disso, a Mercedes conta com o apoio do Centro de Customização da Daimler Truck, na França. Um dos pacotes oferecidos pela fabricante é o Robustez que inclui grade metálica de proteção do farol, nova posição do suporte para placa, parachoque dianteiro tripartido (que permite ângulo de entrada maior), nova posição da luz de seta e primeiro degrau da cabine em metal.

A gama de personalização oferecida é bem ampla, e vai desde veículos para mineração, ganhando um design mais bruto, até os caminhões de estrada. No caso do Actros, o CTT também é responsável pela versão “Coração Estradeiro” que deixa o modelo mais exclusivo. Dentre as mudanças temos a cor cinza Galcon fosca, adesivação personalizada, grade dianteira da cabina black piano com frisos cromados, geladeira de 25 litros, televisão, rodas de alumínio, pistola de ar em alumínio para limpeza interna da cabina, defletor de teto, defletores laterais e saias laterais.

Divulgação/Mercedes-Benz