A Chevrolet Blazer vai voltar. O anúncio surgiu nesta semana com a revelação da nova geração que chega em 2023 para o mercado norte americano. O novo modelo do SUV será eletrificado, seguindo a estratégia da fabricante que pretende colocar outros exemplares no mesmo caminho. A produção começa no próximo ano na fábrica da GM no México.

A Blazer nos traz nostalgia ao lembrarmos do modelo que rodava por terras tupiniquins. Era derivado da picape S10 e compartilhava boa parte da mecânica e dos equipamentos que vinham na camionete. Antes, o modelo tinha uma pegada off-road, mas agora dentro da geração SUVs a nova Blazer sofreu diversas mudanças, o suficiente para ficar tecnológica e atual. 

Divulgação/Chevrolet

O design futurista segue linhas mais horizontais e com um estilo próprio. Para diferenciar os modelos da Blazer de acordo com as versões, a GM vai distinguir nos detalhes. Para os exemplares do catálogo, as duas primeiras opções de entrada serão pintadas em uma única cor e equipadas com rodas de 19 polegadas. 

A versão esportiva começa com a RS com itens externos em preto brilhante, deixando os cromados de lado, enquanto as rodas aumentam para 21 polegadas. Nesta ocasião, o “esportivo” fica apenas relacionado ao kit visual, sem alterações radicais ou mecânicas. 

A última opção da Blazer, e também o modelo mais completo está no SS. Começando pela pintura, que pode ser bicolor e possui cores exclusivas. Além disso, a grade dianteira é única para o modelo, e recebe a combinação com o teto e coluna A em preto. As rodas são de 22 polegadas e todas as versões recebem faróis de LED. 

Divulgação/Chevrolet

O interior tem uma série de equipamentos, começando pela central multimídia sensível ao toque com um tamanho de 17,7”. O painel de instrumentos também é digital e possui uma tela de 11”. Além disso o SUV conta com: sistema de navegação com planejamento para estações de recarga e assistência semiautônoma de condução Super Cruise, iluminação ambiente e abertura elétrica do bocal para o carregador. 

Para os recursos de segurança, a lista é extensa com: assistente de tráfego cruzado, assistente de permanência em faixa com correção de rota e faróis inteligentes, alerta de colisão dianteira, assistente de estacionamento, frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestres e controle de cruzeiro adaptativo.

 O conjunto mecânico e as opções de motores não foram revelados pela Chevrolet. Mas a montadora já adiantou que o novo Blazer EV vai possuir uma autonomia superior a 500 km e será equipado com um motor de 560 cv e 89,6 kgfm, além de tração integral na versão SS. O desempenho de 0 a 100 km/h para essa opção está prometido em apenas quatro segundos para o SUV.

O blazer chega nas lojas a partir do segundo trimestre do ano que vem, começando pelas versões 2LT e RS com preços entre US$ 47.595 (R$ 257 mil na conversão atual) e US$ 51.995 (R$ 281 mil). Já o modelo SS, demora mais para aparecer, surgindo nas concessionárias só no final de 2023 partindo de US$ 65.995 (R$ 357 mil). Ainda assim a Chevrolet terá a versão 1LT que estreia só no início de 2024 por US$ 44.995 (R$ 243 mil).

Divulgação/Chevrolet